Apple, Facebook e Google investem em energias renováveis para seus data centers

Por Redação | 02 de Abril de 2014 às 14h35

Um relatório do Greenpeace tece grandes elogios a empresas como Google, Facebook e Apple devido aos esforços das três em substituir os meios tradicionais de energizar seus data centers em prol de alternativas mais sustentáveis. As diversas iniciativas das companhias são computadas e colocadas em um índice que mostra a preocupação de cada uma com a questão.

Entre todas as avaliadas, a Apple foi a que conseguiu as maiores notas. A organização de proteção do meio ambiente elogiou a transparência da companhia e seus esforços em buscar novas fontes de gerar eletricidade, como a instalação de painéis solares em seu data center no estado americano da Carolina do Norte.

Além disso, a empresa de Cupertino foi notada por sua evolução, já que recebeu notas baixas em dois dos quatro quesitos avaliados pela pesquisa realizada em 2012. Hoje, dois anos depois, a Apple obteve graduação máxima em todas as avaliações, demonstrando um claro compromisso com o meio ambiente. No total, a Apple obteve um ranking de 100%. Em segundo lugar está o Facebook, com 49%, e o Google, com 48%.

Por outro lado, a Amazon foi considerada a empresa de tecnologia menos preocupada com a natureza, com um índice de apenas 15%. De acordo com o Greenpeace, a gigante varejista opera 18 data centers em todo o mundo e, na maioria deles, busca a fonte de energia mais barata para fazê-los funcionar, não importando o quão “suja” seja essa eletricidade. Entre as principais fontes estão gás e carvão, que geram grandes emissões de carbono para a atmosfera.

A empresa, que tem nos serviços de cloud computing um de seus principais destaques, recebeu a menor nota em três dos quatro quesitos avaliados pelo órgão. As constatações já haviam sido refutadas pela Amazon antes, na publicação do relatório de 2012, e bem provavelmente, voltarão a ser negadas desta vez.

Alto poder computacional e energético

O crescimento dos serviços de virtualização, armazenamento, streaming e cloud computing estão fazendo com que data centers sejam cada vez mais necessários. De acordo com os dados do Greenpeace, esse tipo de estrutura exige cerca de 80 megawatts por dia para funcionar, um total energético que seria capaz de abastecer 65 mil residências americanas. É justamente daí que decorre a necessidade de buscar fontes energéticas mais limpas e seguras para o meio ambiente.

Em seu relatório, a organização afirma que seis das empresas avaliadas – Apple, Google, Facebook, Box, Salesforce e Rackspace – assumiram compromisso de tornar suas operações de data center 100% renováveis. Entre as opções a serem aplicadas estão a energia solar, já amplamente utilizada, além do uso dos ventos para captação.

A pesquisa envolveu 19 empresas de tecnologia que operam, juntas, 300 data centers em todo o mundo. Para gerar os índices, o Greenpeace usou dados fornecidos oficialmente pelas companhias, além de visitas e outras informações obtidas junto aos governos. As informações foram publicadas pela agência Reuters.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.