Guia de Cursos de TI: Rede de Computadores

Por Rafael Romer | 18 de Fevereiro de 2013 às 09h05

Duração do curso: de 2 a 3 anos.

Mercado de trabalho: Empresas de telefonia, pequenas, médias e grandes empresas com redes de computadores ou empresas de suporte de rede

Salário inicial: R$ 1.170,00 (Sindpd)

Expectativa salarial: até R$ 15 mil

Veja mais: Guia de Cursos de TI - saiba qual é o mais indicado para você

O tecnólogo em Rede de Computadores é um profissional de nível superior, formado em um curso superior da área de tecnologia. Voltado para as demandas crescentes de TI, o curso tem duração menor do que os mais tradicionais de graduação, possibilitando uma entrada rápida do profissional no mercado de trabalho.

Considerado um dos mais técnicos entre os cursos de TI, o profissional em Rede de Computadores é o responsável pela criação, dimensionamento de equipamento, manutenção, gerenciamento e segurança da infra-estrutura de redes internas, externas, locais ou de longa distância de uma empresa. Ele será o responsável por garantir a qualidade e funcionamento da rede de uma empresa, de modo que os serviços realizados pela companhia não sejam prejudicados.

Por ser o profissional que coloca a "mão na massa" para criação de uma infra-estrutura de rede, o conhecimento do tecnólogo de Rede de Computadores abrange diversas áreas da computação, como Software e Hardware, sistemas operacionais (Windows e Linux), tipos de rede (Wireless, cabeada, 3G e/ou 4G) e opções de segurança de rede. "Imagine que uma empresa tenha que montar um escritório. O profissional de redes terá que saber quais os computadores, quais as configurações, quais os sistemas operacionais, qual a estrutura do prédio, quantos equipamentos são necessários, quantos roteadores, quantos suites, quais as opções de segurança, tudo isso", detalha Leandro Freitas, coordenador de cursos superiores de tecnologia da FIAP.

Além da infra-estrutura, a garantia de segurança de rede é outro nicho de mercado no qual o profissional pode atuar. Para isso, o profissional deve saber trabalhar com software de segurança, software hacker para a prevenção de roubo de dados, testar vulnerabilidade de redes, além de conhecer todos os canais e portas de entrada da empresa para protegê-los. "Fazendo uma analogia com a engenharia civil: não é só construir o prédio, depois é preciso fazer toda a manutenção deste prédio", diz o coordenador.

Assim como em outros cursos técnicos de TI, uma das recomendações do aluno de Rede de Computadores é que já procure estagiar a partir do primeiro ano, para evitar ficar defasado quando chegar ao mercado com a formação apenas acadêmica. "A faculdade dá um conhecimento bem focado para o mercado, se ele começar a estagiar cedo, com certeza o conhecimento dele passa a ser bem mais amplo", afirma Leandro. Ao sair da faculdade, é importante que o profissional também fique atento e se informe sobre novidades da área para não ficar para trás.

Sendo um profissional de nível superior, os tecnólogos podem continuar seus estudos através de uma pós-graduação (Mestrado e Doutorado) ou fazendo cursos de especialização. Uma vantagem do profissional de redes formado é a possibilidade de se associar ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), que garante uma série de benefícios e permite que o profissional assine seus próprios projetos de rede, como se fosse um engenheiro. A área de rede de computadores, em especial, é uma das que mais exige que o profissional mantenha-se sempre em dia com novas tecnologias, devido à concorrência maior em relação a outras áreas. "O profissional de redes precisa de certificados. O número de vagas é menor e a quantidade de profissionais maior, por isso as empresas exigem mais certificações para a contratação destes profissionais", afirma Leandro.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.