Digital Innovation One e GFT oferecem 2 mil bolsas de estudo em programação

Por Natalie Rosa | 22 de Outubro de 2019 às 23h10
Reprodução: START_UNI

A empresa alemã GTF, referência em tecnologias para a transformação digital, acaba de anunciar a criação de um projeto que oferece duas mil bolsas gratuitas para cursos de programação aqui no Brasil. A iniciativa acontece em parceria com a Digital Innovation One, plataforma brasileira de open education em tecnologia e programação.

Com o programa, estudantes terão a grande oportunidade de participar do processo seletivo da START_UNI, que vai oferecer até um ano de estágio na GTF. Serão selecionados 120 candidatos que contarem com o melhor desempenho nos cursos, que apresentarão o conteúdo em aulas de vídeo e exercícios práticos, todos elaborados por especialistas do mercado de desenvolvimento front-end. São 40 vagas disponíveis: 30 para a cidade de São Paulo e 10 para Curitiba.

Os alunos terão 20 dias para concluir as atividades propostas em seus cursos escolhidos, como Lógica de Programação, Metodologias Ágeis, Arquitetura de Sistemas e APIs, HTML, CSS e JavaScript ES6, recebendo um certificado de conclusão ao final. Os selecionados também participarão de aulas de capacitação comportamental e de habilidades de comunicação e postura corporativa.

Imagem: Reprodução/START_UNI

O objetivo do projeto, como conta Fernanda Rodrigues, chefe de recursos humanos da GFT para a América Latina, é incentivar e fortalecer a formação de novos profissionais. “Hoje, as carreiras em tecnologia estão em destaque, mas a quantidade de profissionais no país ainda é baixa e temos um déficit crescente. Acreditamos que o nosso papel como players de mercado é de fomento à educação e à formação, gerando oportunidades para que esses novos profissionais cresçam com a gente", conta.

Para o diretor da Digital Innovation One, Iglá Generoso, o mercado digital atual exige que várias áreas do modelo educacional seja recriado. "Cada vez mais é essencial desenvolver modelos educacionais colaborativos onde a sociedade, as empresas, as organizações de classe, o poder público, os alunos e as escolas criem sinergia e ampliem a geração de valor mútuo. Só assim seremos um país competitivo com desenvolvimento sustentável", relata.

Interessados já podem se candidatar às vagas no site oficial do projeto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.