Russia bloqueia sites pornô e manda usuários conhecerem pessoas na vida real

Por Redação | 19 de Setembro de 2016 às 16h35
photo_camera Divulgação

Ah Russia. Terra da vodka, dos czares, das dashcams, Vladimir Putin e de tantas outras coisas tão interessantes quanto excêntricas. Agora o país, através de sua agência reguladora sobre os órgãos de mídia, resolveu bloquear dois dos mais acessados sites de pornografia do mundo: o YouPorn e o PornHub, gerando indignação nas redes sociais.

Mas a polêmica não parou por aí não: não deixando barato para os detratores da decisão, a Roskomnadzor, entidade que efetuou os bans, também foi para as redes sociais para devolver as críticas aos usuários reclamões.

O post mais notório dessa história toda foi na verdade um repost de um tweet feito em 2015, quando a agência fez uma primeira onda de bans em sites pornográficos. "Uma alternativa que vocês poderiam tentar é conhecer alguém na vida real. Queridos amantes da Internet, esse conselho se mantém", disparou a Roskomnadzor.

A empresa fez o ban na última terça-feira (13). Desde então, todos os usuários que acessaram os dois sites bloqueados se depararam com uma mensagem dizendo que as páginas foram bloqueadas por "decisão das autoridades públicas".

Materiais pornográficos não são proibidos na Rússia, mas o plano ao banir os sites é o de diminuir a distribuição gratuita e não-supervisionada destes conteúdos.

Não é só este tipo de conteúdo que o governo russo bloqueia na web. A Roskomnadzor tem uma lista negra com centenas de endereços eletrônicos proibidos, seja de conteúdos pornográficos, até propaganda antigovernista contra o presidente Vladimir Putin.

O Pornhub, por sua vez, não ficou quieto contra o ban, mandando para a agência russa uma oferta para "apaziguar os ânimos", oferecendo uma assinatura premium para os funcionários caso a proibição seja suspensa.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.