Novo campus da Apple gerou “boom imobiliário” em Cupertino

Por Redação | 05.07.2017 às 12:32
photo_camera Divulgação

A construção e lançamento do Apple Park, novo campus que deve servir como base de operações para a empresa, representou mais do que um investimento milionário para a própria Maçã. A chegada do novo escritório da companhia também gerou um “boom imobiliário” em Cupertino e na vizinhança adjacente, Sunnyvale, com os valores de apartamentos mais do que dobrando nos últimos seis anos.

O prédio começou a funcionar em abril deste ano, mas poucos funcionários se mudaram para as adjacências. Isso se deve não apenas ao fato de que o local ainda está em construção, com poucas unidades da empresa funcionando por lá, mas também pelo altíssimo valor de moradia por ali, preços que vêm aumentando de 15% a 20% ao ano.

Uma casa de três quartos, sendo uma suíte e cerca de 900 metros quadrados de terreno, custava US$ 750 mil em 2011. Hoje, o mesmo local não sai por menos de US$ 1,5 milhão, valor que torna a aquisição de propriedades, muitas vezes, proibitiva para funcionários de baixo escalão. O aluguel, por sua vez, também cresce na mesma proporção.

Enquanto isso, abriram-se as portas para a especulação imobiliária. Investidores, de olho na revitalização da região – onde antes funcionava um dos escritórios principais da HP – chegam a oferecer de 20% a 25% acima do valor de mercado de uma propriedade.

Negócios locais também já estão vendo crescimento e se preparam para um aumento de demanda na medida em que mais funcionários da Apple chegarem ao local. Um conjunto residencial em Cupertino, que deve ser aberto em setembro, está investindo em linhas de fibra óptica e home offices com Macbooks disponíveis para os moradores, em antecipação à chegada de colaboradores da companhia.

Por outro lado, alguns dos residentes mais antigos reclamam dos transtornos envolvidos na construção de um prédio da magnitude do novo campus da Apple. Eles se resumem a ruas que são fechadas sem aviso e barulho de britadeiras e maquinário, além da circulação constante de tratores e caminhões. Detritos que caem dos veículos estariam causando furos nos pneus de carros e sujando as ruas e propriedades adjacentes. As reclamações, entretanto, cessam quando se fala, novamente, na valorização dos imóveis da região.

Entretanto, eles também tomaram atitudes para interromper alguns dos planos mais megalomaníacos da Apple, como a ocupação de uma das faixas das ruas que circundam o campus para colocação de uma linha de árvores. Outra preocupação é quanto aos espaços de estacionamento, que muitos moradores julgam insuficientes. Eles temem que veículos de funcionários acabem sendo deixados diante de suas casas, lotando as ruas e ocupando as vagas que são usadas por eles.

A previsão é que o Apple Park esteja finalizado em alguns anos, com toda a estrutura do quartel-general da Maçã sendo transferida para lá. Entre os custos de aquisição da propriedade e construção do campus, estima-se que a companhia tenha gasto mais de US$ 5 bilhões no projeto.

Fonte: 9to5 Mac