Fã de CSI ajuda polícia a solucionar assassinato na Espanha

Por Redação | 03.05.2016 às 08:37

As maratonas de séries podem ser mais úteis do que se imaginava. Na Espanha, uma fã de CSI ajudou a polícia a solucionar um crime a partir do que aprendeu ao longo das temporadas, e as provas adquiridas serão essenciais para o julgamento do caso.

Para quem nunca assistiu à série, o enredo conta a história de investigadores da polícia que trabalham desvendando crimes por meio das pistas deixadas pelos criminosos. Mesmo com um roteiro bastante comum entre diversos seriados, as análises feitas em CSI serviram de inspiração para desvendar um crime praticamente encerrado.

Carmen Moreno trabalha em um parque chamado Maria Luiza, em Sevilla, na Espanha, onde uma mulher de 31 anos foi encontrada morta. De acordo com as investigações da polícia espanhola, o caso foi tratado como suicídio por overdose de tranquilizantes.

Depois da perícia liberar o espaço, a equipe de limpeza do parque foi acionada, e Carmen, enquanto varria o local, encontrou lenços e protetores íntimos manchados de sangue. Estranhando o fato da polícia não ter visto as provas de um possível crime, a funcionária do parque coletou tudo o que encontrou utilizando as técnicas aprendidas em CSI. Para isso, guardou os objetos separadamente em oito sacos, utilizando uma sacola como luva para não contaminar as provas.

A partir da autópsia, foi constatado que a mulher não havia morrido por conta dos tranquilizantes, mas havia sido vítima de um estupro bastante violento, o que acarretou em ferimentos graves que levaram à sua morte. Diante dessa informação e das evidências coletadas por Carmen, a polícia local pôde fazer exames de DNA, que revelaram a identidade do criminoso: um homem de 46 anos que já havia sido acusado por outros crimes do tipo.

Cerca de duas semanas após o crime, o assassino foi capturado e agora está aguardando julgamento. Apesar do fim trágico dessa história, ficou mais que provado que as tão aclamadas séries têm mais funções do que o simples entretenimento de seus espectadores.

Fonte: Exame