Engenheira de software implanta chip RFID da Tesla em seu próprio braço

Por Rafael Arbulu | 13 de Agosto de 2019 às 09h54
(Captura de Imagem: Rafael Arbulu)

A engenheira de software e autointitulada “criadora de coisas” Amie DD publicou um vídeo em seu canal no YouTubemostrando sua última peripécia: adepta de brincar com a tecnologia moderna, a especialista removeu um chip RFID do cartão de seu Tesla Model 3 e o reimplantou em seu próprio braço.

Os automóveis da Tesla não vêm com chaves, ao contrário do que se vê na maioria dos automóveis. Em vez disso, o veículo é destravado por meio de um chaveiro específico ou então via smartphone, com app dedicado. Alternadamente, também é possível usar um cartão de acesso, para o caso de você estar sem o chaveiro em mãos ou seu smartphone estiver sem bateria.

Amie, porém, decidiu brincar com uma dessas opções, dissolvendo o cartão de acesso com acetona e encapsulando o chip de identificação dentro dele em uma camada de biopolímero. Então, ela dirigiu-se até um estúdio de tatuagens e modificações corporais, implantando o chip em seu braço. A experiência toda foi narrada em dois vídeos (conteúdo potencialmente gráfico abaixo) e também por um artigo dela no Hackaday.

Amie DD contou que já tem um outro chip implantado sob a pele, que é utilizado para abrir a porta de sua casa e redirecionar o navegador de seu smartphone para o seu site pessoal, com seu portfólio de trabalho. Então esse tipo de ação com o próprio corpo não é exatamente uma novidade para ela.

Infelizmente, não há registro do chip em funcionamento após o implante: Amie DD disse que, após o procedimento, seu braço ficou bem inchado. Falando ao The Verge, porém, ela assegurou que o projeto funciona muito bem. Ela notou, porém, que a abrangência do chip não é das maiores (coisa de 25 milímetros de distância), mas espera que isso seja ampliado quando o inchaço diminuir.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.