Correios da França entregarão correspondências via drone

Por Redação | 20.12.2016 às 19:14
photo_camera DepositPhotos/conceptw

Na semana passada, aqui no Canaltech noticiamos que a Amazon começou seu projeto piloto de entrega de pedidos usando drones. Parece que a gigante de varejo não está sozinha nessa empreitada. O Le Groupe La Poste (LGPD), serviço postal da França anunciou que tem planos de iniciar um programa de entrega de correspondências utilizando veículos aéreos não tripulados.

O projeto terá início com um experimento que será feito em uma área restrita, de aproximadamente quinze quilômetros de distância de rota, e aguarda aprovação do governo francês para ser colocado em ação.

Segundo afirma a empresa de correios francesa, a novidade ainda é um piloto, que funcionará apenas uma vez por semana. Entretanto, este é o primeiro caso de uma companhia estatal de correios fazendo entregas com drones.

Os equipamentos e sistemas que cuidarão deste projetos são da DPDgroup, subsidiária dos correios na França, que trabalhou na iniciativa durante os últimos dois anos, em parceria com a fabricante francesa Atechsys. Segundo os testes já realizados pelas empresas, um drone será capaz de transportar pacotes de até dois quilos em um distância de até quinze quilômetros.

Segundo a DPDGroup, inicialmentea as entregas serão restritas para clientes não comerciais, atendendo a uma dúzia de companhias de tecnologias que receberão seus pacotes via drone.

De acordo com o LGPD, caso o experimento seja bem-sucdido, o plano é que os drones sejam usados para entregar correspondências em áreas rurais ou montanhosas de difícil acesso, onde a entrega via couriers humanos é difícil e cara.

Além da empresa de correios francesa, parece que a Royal Mail, da Inglaterra, também está de olho neste tipo de serviço. No início do ano, a empresa estatal demonstrou interesse na aquisição de tecnologias de drones para experimentar entregas via ar em regiões remotas e de difícil acesso no país. Embora a legislação no país já esteja mais flexível - vide o caso da Amazon, que conseguiu fazer seu primeiro serviço de entrega no Reino Unido e não dos Estados Unidos - o projeto não foi adiante até agora.

O serviço postal dos EUA também mirou o uso de drones, lançando uma pesquisa popular para saber como seus clientes se sentiriam caso suas entregas fossem feitas por veículos aéreos não tripulados. A resposta foi positivo, entretanto, as complicações legislativas no país mostram que a novidade não deverá chegar tão cedo - analistas apontam que drones só serão uma realidade no país a partir de 2020.

E no Brasil então, hein?

Fonte: Recode