Pesquisadores descobrem que ratos possuem habilidades complexas para cantar!

Por Redação | 11 de Outubro de 2012 às 12h29

Um estudo recente provou que os ratos e camundongos possuem habilidades vocais bastante sofisticadas, como o dom de alterar tons de voz. Enquanto os cientistas pensavam que os golfinhos e várias espécies de pássaros é que mereciam o Grammy, os pequenos roedores já exerciam suas peripécias vocais mundo afora. As pequenas criaturas não apenas cantam melodias ultrassônicas, bem acima dos sopranos, mas também aprendem novos tons com seus colegas de gaiola. O estudo saiu na Live Science.

Os cientistas da Universidade de Duke acreditam que os ratos possuem um centro de controle motor rudimentar em seus cérebros, que funciona em conjunto com as cordas vocais para oferecer um controle voluntário da afinação e do tom da voz. Supondo que esta hipótese esteja correta, a informação poderia levar a estudos muito mais efetivos de distúrbios da fala em humanos.

O que talvez seja o mais surpreendente é que a conexão entre o cérebro e as cordas vocais dos ratinhos não está presente em primatas, como macacos e chimpanzés.

Assim como os seres humanos, os ratos também podem ser classificados quanto ao timbre de voz, como tenores e barítonos. Um rato barítono? Sim. Usando seus conhecimentos, os cientistas colocaram os ratinhos em uma gaiola com fêmeas que "falavam" em um tom diferente.

Os machos tenores pronunciavam um som mais profundo. Alguns barítonos cantaram mais alto, mas a maioria continuou a cantar na mesma escala, abaixo dos tenores e acima dos baixos. Segundo Erich Jarvis, um dos cientistas envolvidos, isso prova que os machos, ao entrarem em contato com as fêmeas, procuraram aumentar seu timbre vocal para que todos soassem de maneira semelhante, independente do sexo.

No entanto, nem todos os cientistas concordam com os resultados do estudo. Alguns acreditam que, em vez de aprender novos timbres e tons, os ratos apenas realizam convergências na afinação vocal. Para melhor entendimento dos resultados encontrados, mais estudos que examinem as conexões cerebrais dos ratos e camundongos, bem como seus genes e os efeitos causados na vocalização dos animais, são necessários e já estão sendo planejados pelos cientistas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.