Estudo aponta que parte dos americanos acha que HTML é uma DST

Por Redação | 06.03.2014 às 15:51 - atualizado em 07.03.2014 às 02:22

Um estudo recente mostrou que muitos norte-americanos ficam perdidos em relação a termos do mundo da tecnologia, sendo que 11% achavam que HTML (uma linguagem usada para criar sites) era uma doença sexualmente transmissível.

Código HTML

O Vouchercloud.net, um site com cupons de desconto, foi a empresa que conduziu o estudo como uma forma de determinar como os usuários se saem quando o assunto é ligado a termos tecnológicos. Além do caso do HTML, a pesquisa fez outras descobertas interessantes.

Cerca de 77% dos que responderam não puderam definir o que seria a sigla "SEO", que significa otimização de sites para buscadores. 27% disseram que "gigabyte" era um inseto encontrado na América do Sul, quando na verdade se trata de uma unidade de medida de capacidade de armazenamento.

Já 42% disseram que uma "placa mãe" era o "deck de um navio de cruzeiro", quando na verdade ela é o circuito que acomoda a maioria dos componentes de um computador. 23% das pessoas responderam que MP3 era um "robô de Star Wars", quando na realidade trata-se de um arquivo de áudio.

18% das pessoas responderam que Blu-ray era um animal marinho, sendo que na verdade trata-se de um formato de disco geralmente usado para armazenar vídeos em alta definição. 15% das pessoas responderam que software era uma roupa confortável, quando na verdade refere-se a um programa de computador.

12% disseram que USB era o acrônimo de algum país da Europa, quando na verdade se trata de um tipo de conector. Apesar das respostas incorretas, 61% das pessoas disseram que é importante ter um bom conhecimento de tecnologia nos dias de hoje.

Porém, a origem e veracidade da pesquisa foi questionada por alguns sites. Em resposta, a 10 Yetis Public Relations, empresa responsável por executar a pesquisa para o site de cupons, disse que forneceu integralmente os resultados do estudo.

A pesquisa "é totalmente genuína e válida", disse Leanne Thomas, uma executiva de contas sênior da 10 Yetis. Thomas disse ainda que a pesquisa foi conduzida via e-mail durante 7 dias e que os participantes não receberam incentivo financeiro para responder.