Entregas por drones podem se tornar realidade em Dubai

Por Redação | 11 de Fevereiro de 2014 às 11h13

A Amazon apresentou um serviço de entrega por drones, que muita gente acreditou se tratar apenas de uma peça de marketing. O mesmo foi dito da cervejaria Lakemaid, que propôs ideia semelhante para a entrega de bebidas. Mas agora, surge a primeira iniciativa governamental desse tipo, com o governo dos Emirados Árabes Unidos estudando a emissão e envio de documentos por meio de robôs.

Os testes são pioneiros entre agências governamentais de todo o mundo, como mostra reportagem da Reuters, e já começaram, servindo para facilitar a entrega de carteiras de identidade, licenças para dirigir ou vistos. Para garantir a identidade do receptor, o drone é equipado com sensores biométricos e leitores oculares, capazes de acessar o banco de dados rapidamente e somente completar o trabalho em caso positivo.

Para Mohammed al-Gergawi, ministro de assuntos internos dos Emirados Árabes Unidos, o projeto pode abrir as portas para que a entrega por robôs realmente se torne algo real e costumeiro. Nos testes, o governo está usando drones com quatro rotores alimentados por baterias, capazes de carregar alguns poucos quilos de carga sem atrasos ou lentidão na entrega.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A ideia é que os testes aconteçam ao longo deste primeiro semestre, com o serviço entrando em funcionamento ainda em 2014, só que ainda em projeto piloto. Com esse uso efetivo, porém, o governo dos Emirados poderá entender melhor as necessidades de uma solução desse tipo de forma a torná-la um exemplo para o restante do mundo.

O responsável pelo projeto não falou sobre estimativas de tempo de entrega e outros detalhes. Segundo proposta apresentada pela Amazon, a ideia seria entregar pacotes em até 30 minutos após o pedido, de acordo com a localização do cliente. Testes de entrega com drones também estão acontecendo na China e um projeto semelhante ao dos Emirados Arabes Unidos deve entrar em funcionamento na Austrália até o meio de 2014.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.