Dez opções de transporte "sci-fi" que podem virar realidade

Por Redação | 03 de Maio de 2014 às 14h46

O transporte em um futuro próximo é uma das grandes preocupações do mundo atual. A internet aproximou a todos globalmente mas ainda falta algum veículo ou processo capaz de diminuir o tempo entre as viagens, principalmente porque já há tecnologia para substituir carros, trens e aviões por veículos ainda mais rápidos. E foi pensando em novas opções que o pessoal do ListVerse montou essa lista, de dez alternativas que poderemos ver funcionando muito em breve.

10. Hyperloop

hyperloop

Elon Musk é o nome por trás de algumas das criações mais brilhantes das últimas décadas. Foi ele quem fundou a Tesla Motors e desenhou um inovador carro elétrico; é dele a empresa de transporte espacial SpaceX; e foi ele quem criou o sistema alternativo de transações financeiras PayPal. E agora, espera-se que sua mais nova empreitada também seja bem-sucedida, já que trata do transporte público.

Musk sugere um sistema de transporte ultraveloz, de cidade a cidade, capaz de levar pessoas de São Francisco a Los Angeles em apenas 35 minutos. Como fazer isso? Bem, o inventor diz ser necessário um tubo de aço elevado contendo cápsulas de alumínio capazes de viajar a 1.200 km/h. Tudo a partir da energia solar.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O grande desafio seria encontrar alguém corajoso o suficiente para investir US$ 70 bilhões só pra começar o projeto. Ainda mais porque muita gente que já deu uma olhada no conceito do Hyperloop achou o sistema caro e impraticável.

Apesar da descrença, Musk continua tocando o projeto e a startup chamada Hyperloop Transportation Technologies, Inc. anunciou recentemente um protótipo do Hyperloop para o primeiro bimestre de 2015.

9. Carros nucleares

carros nucleares

O tório é um elemento químico muito denso e um dos maiores responsáveis pelo aquecimento do centro da Terra. E pode ser uma das alternativas de combustível para um carro nuclear.

Essa é a ideia da companhia estadunidense Laser Power Systems (LPS), que vem desenvolvendo uma maneira de utilizar um pedaço minúsculo de tório no motor de um veículo. De acordo com o projeto, oito gramas do elemento radioativo poderiam alimentar um automóvel por mais de 100 anos.

8. Supercavitação

supercavitação

A cavitação, fenômeno observado quando um objeto move a uma grande velocidade em um fluído, atrapalha a indústria naval e a aeronáutica. A supercavitação, no entanto, é vista com bons olhos no setor de novas tecnologias de transporte.

Na supercavitação, o fluido se expande ao redor do objeto e adquire uma velocidade muito grande, fazendo com que a pressão diminua até que haja evaporação do líquido. Isso diminui a fricção em até 900 vezes.

Uma companhia de Portsmouth, nos Estados Unidos, vem trabalhando em um barco chamado Ghost, que poderia utilizar a supercavitação. A Juliet Marine Systems também estaria de olho em sua finalidade militar: um veículo marítimo com essa tecnologia poderia enganar sonares e até mesmo superar a velocidade de torpedos.

7. O Martin Jetpack

Quem é fã de ficção científica conhece bem os jetpacks, que, literalmente, são mochilas com jatos propulsores, capazes de fazer pessoas voarem. E o neozelandês Glenn Martin juntou a fantasia com a realidade: é dele o primeiro jetpack viável, considerado uma das 50 grandes invenções de 2010 pela revista Time.

Depois de 30 anos trabalhando no projeto, Martin conseguiu voar em sessões de 30 minutos cada, a velocidade de 74 km/h e a 900 metros de altura. A ideia deu certo, contudo, por enquanto segue muito cara: a mochila voadora estará disponível para todo mundo já neste ano, desde que você tenha US$ 200 mil para bancar cada unidade.

6. Velo-city

VELOCITY

Em 2006, a prefeitura de Toronto anunciou planos de criação do que seria um "ultra silencionso sistema de trânsito, sem poluição, de alta velocidade, operante durante todas as estações do ano e capaz de fazer as pessoas ficarem mais saudáveis". Isso é tudo o que promete a Velo-city (com trocadilho e tudo), que prevê pistas elevadas em tubos de três vias para bicicletas.

O projeto do arquiteto Chris Hardwicke prevê que a eficiência dos ciclistas poderia aumentar em até 90%. A pista com circulação de ar favorável poderia deixar a velocidade média dos usuários próxima a 50 km/h, além de proteger os mesmos dos efeitos climáticos.

Apesar das boas intenções, o projeto foi arquivado temporariamente, devido às mesmas razões da maioria: falta de verba.

5. Next

O Next seria algo parecido com o Google Car, um veículo conduzido por computadores em sincronia com mapas online atualizados em tempo real, só que voltado para a interação social. Com ele, seria possível chamar um módulo via smartphone, que pegaria o passageiro no destino escolhido e então levaria a um veículo maior, com várias outras cabines semelhantes.

Em seguida, os módulos seriam rearranjados para simular um vagão de trem ou o interior de um ônibus, de acordo com a "configuração social" desejada. A ideia do designer Tommaso Gecchelin é louvável, porém, o próprio criador admite que tecnologias precisam ser desenvolvidas para que o Next seja uma realidade, como, por exemplo, nanomateriais, baterias de alta capacidade e painéis solares baratos. E isso não deve acontecer antes de 2025.

4. Kolelinio

O conceito criado por Martin Angelov, em 2010, é, basicamente, usar um sistema cruzado de tirolesas, acoplado a assentos motorizados. O Kolelinio, além de ser amigável ao meio-ambiente, teria também "pistas" em que os usuários estariam próximos ao chão em dias normais e outras mais acima, em áreas de tráfego intenso.

A ideia de Angelov, porém, não oferece proteção contra mau tempo e também depende do peso das pessoas, já que um obeso teria problemas de segurança, por exemplo. Ainda assim, o projeto segue em andamento e pode ser que haja alguma novidade em breve.

4. The Skylon

SKYLON

O Reino Unido anunciou no ano passado que pretende criar um avião super-rápido, o Skylon, com poder de atingir cinco vezes a velocidade do som e até mesmo de ultrapassar os limites da órbita terrestre. A projeção é de que a aeronave levaria 300 passageiros de Londres a Sydney em quatro horas. Ou até mesmo um carregamento de 15 mil quilos para alguma estação espacial internacional, por exemplo.

O processo de construção já começou, porém, enfrenta o mesmo problema de sempre: é preciso pelo menos US$ 90 milhões para iniciar o projeto, chamado pelo chefe de departamento de transporte aéreo do Instituto de Tecnologia de Massachusetss, John Hansman, de "algo formidável para a ficção científica mas muito, muito difícil de concretizar".

Apesar do baixo-astral de Hansman, muitos cientistas estão otimistas com a ideia e, se tudo der certo, pode ser que tenhamos um protótipo do Skylon em algum momento de 2017.

2. Scarab

SCARAB

O "escaravelho" seria uma alternativa com utilidade flexível. Baseado no corpo de uma moto mas capaz de andar em quatro rodas, o veículo viria com espaço para combustível orgânico e celular, baterias e bagageiro compacto. Além disso, poderia ser dirigido manualmente ou automaticamente em vias controladas. No trânsito, poderia ocupar menos espaço "de pé", inclusive em estacionamentos.

De acordo com o designer David Miguel Moreira Gonçalvez, a ideia do Scarab nasceu da constatação de que a maioria prefere transportes individuais aos públicos. Então, o veículo vem para ser uma opção amigável à natureza e que possa atender a esse anseio.

Ainda não há planos para protótipos, mas como o Scarab tem o projeto "verde", pode ser que alguma inspiração ou variação apareça em eventos ecológicos no futuro próximo.

1. SkyTran

Essa é a invenção mais próxima do que já vimos como solução para o transporte em filmes futuristas. Uma pista de metal sobre a cidade carrega cabines com passageiros. Neste caso o SkyTran, criado para solucionar o problema de intenso tráfego em Tel Aviv, Israel, utiliza carros compactos seis metros acima do chão em movimentação baseada na levitação magnética.

De acordo com os desenvolvedores, para usar o SkyTran basta ligar um aplicativo nas proximidades de uma estação. A partir daí, os carros que estiverem mais perto surgem para atendê-lo, de acordo com seu destino final. Isso custaria mais que uma passagem de ônibus e menos que uma corrida de táxi, com o uso de energia neutra.

Apesar de parecer coisa saída do desenhos dos Jetsons, o SkyTran pode alcançar 241 km/h e não se surpreenda se vir um desses já funcionando por aí muito em breve em Tel Aviv.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.