Crítico literário afirma ter encontrado emoticon em poema de 1648

Por Redação | 18 de Abril de 2014 às 11h00

Já imaginou escrever uma mensagem sem um emoticon? :-/ Realmente a internet e as mensagens de texto não seriam as mesmas. Mas pode ser que combinar caracteres para expressar sentimentos não seja exclusivo da era da internet.

O crítico literário Levi Stahl, da Universidade de Chicago, diz ter encontrado o que pode ser o primeiro uso da pontuação para criar um rosto sorridente em uma cópia do poema “To fortune”, escrito por Robert Herrick, em 1648.

Primeiro Emoticon

Segundo informações do site do jornal O Globo, Stahl achou que a carinha fosse um erro de digitação, mas ao checar a versão publicada ano passado pela Universidade de Oxford, encontrou a mesma marcação e, com isso, passou a considerar que a intervenção foi proposital, o que faria sentido na obra de Herrick, marcada pelo humor.

Até hoje, o exemplo mais antigo de uso de emoticons estava na edição da revista Puck de 30 de março de 1881.

Revista Puck

Repare na parte inferior, no meio da página.

Mas no caso dessa edição da revista, o emoticon não está dentro do texto, logo não imprime os mesmos sentimentos :'(.

Isso significa que Heck talvez seja o "pioneiro" das carinhas de caracteres por pelo menos 200. O emoticon pode ser apenas um erro tipográfico, mas a hipótese da inclusão ser proposital ganha força graças ao contexto do verso "smiling yet" ("ainda sorrindo").

O professor de literatura inglesa Alan Jacobs, no entanto, discorda e acha pouco provável que Herrick tenha criado o emoticon. Ele argumenta que, para ter certeza das intenções do poeta, seria preciso encontrar os manuscritos originais, pois os responsáveis pela impressão não necessariamente seguiram as orientações dos autores.

Como exemplo, ele cita uma versão do poema publicada no século XIX sem os parênteses. Jacobs imagina que a imagem tenha sido incluída em edições posteriores.

"Os parênteses não eram usados em verso na época de Herrick de forma tão comum quanto hoje nem da forma como usamos hoje", argumenta ele. "A pontuação, no geral, era incerta no século XVII, tão incerta quanto soletrar. Shakespeare escrevia seu nome de várias formas diferentes e não havia regras gerais. Herrick dificilmente tinha práticas de pontuação consistentes e, mesmo que tivesse, não poderia esperar que os editores ou seus leitores compartilhassem dessas práticas", completa.

A história oficial aponta o cientista da computação Scott Fahlman como o criador dos emoticons, apesar dos registros da revista Puck em 1881. Em 19 de setembro de 1982, mais de 100 anos depois, ele sugeriu a seus colegas na universidade Carnegie Mellon o uso das formas gráficas :-) e :-( para expressar emoções.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.