Brasileiros são mais adeptos dos jogos de redes sociais que os norte-americanos

Por Redação | 09.11.2012 às 11:00

A Associação Comercial, Industrial e Cultural de Games (ACI Games) divulgou um infográfico com informações muito curiosas a respeito da ascensão dos jogos de redes sociais no Brasil. Os dados comparam os gamers sociais brasileiros com os norte-americanos.

Uma pesquisa recente mostrou que a grande maioria dos adeptos desse tipo de game não passa do primeiro dia de jogatina e logo abandona o "vício". Mas parece que os brasileiros não se encaixam muito bem nesse perfil.

Os dados da ACI Games mostram que, enquanto os Estados Unidos ganharam 17% a mais de jogadores desde 2011, o Brasil conseguiu com que 20% mais pessoas provassem os games sociais. E não foi só a quantidade de gamers que aumentou, mas o dinheiro envolvido na jogatina social também: 26% a mais de pagantes brasileiros em comparação a 2011. Enquanto isso, os EUA não chegaram nem em 1%.

As mulheres brasileiras costumam dedicar mais tempo aos jogos disponíveis nas redes do que os homens, mas em compensação, eles investem mais dinheiro nas jogadas do que elas. Os mais viciados, de ambos os sexos, possuem entre 21 e 35 anos.

A Zynga - responsável pelo FarmVille, Mafia Wars e uma série de outros jogos famosos - é a desenvolvedora desse tipo de game que mais faz sucesso entre os moradores do nosso país, e o gênero mais popular é o de estratégia.

O Facebook é o ambiente virtual que mais reúne jogadores sociais, talvez porque nosso país esteja entre os que mais consomem a rede social de Mark Zuckerberg. Mas quem achava que o Orkut já estava enterrado, está enganado: o antigo queridinho dos brasileiros ainda representa 31% da preferência dos jogadores sociais.

Confira abaixo os números completos da pesquisa da ACI Games.

Perfil dos jogos sociais no Brasil