Austríaco pretende ser o primeiro homem a ultrapassar a barreira do som

Por Redação | 09.10.2012 às 15:55 - atualizado em 09.10.2012 às 17:23

O austríaco Felix Baumgartner decidiu superar seus limites e ultrapassar a velocidade do som (1.100km/h aproximadamente) sem a ajuda de nenhum mecanismo, apenas com seu paraquedas.

A barreira do som é o limite de velocidade que um avião, no caso, pode chegar sem colidir com as ondas sonoras geradas pela sua própria propulsão. À medida que o avião acelera, essas ondas vão se juntando e formando uma espécie de barreira artificial e, quando o avião atinge os 1.100km/h, essa barreira é rompida.

O ex-instrutor de paraquedismo do exército austríaco e dublador de filmes de ação pretende quebrar quatro recordes mundiais de uma só vez nesta terça-feira (9) durante seu salto.

Felix Baumgartner

Reprodução: Fox News

De acordo com o IB Times, Baumgartner será içado no ar a uma altura de aproximadamente 120 mil pés (equivalente a 36 mil metros de altitude) em uma cápsula de balão. Usando uma roupa pressurizada, ele deverá atingir 1.100km/h após 30 segundos de queda, antes de abrir seu paraquedas e pousar no deserto do Novo México, Estados Unidos. Se seu voo sair como o planejado, o austríaco irá redefinir os recordes mundiais de skydive mais rápido e maior.

O atleta ainda detém muitos outros recordes como o salto da maior torre do mundo em Taipei, China, com 509 metros de altura e também do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Além disso, ele foi a primeira pessoa a atravessar o Canal da Mancha, que separa a Inglaterra da França, em queda livre e também a pular da maior construção da América Latina, a La Torre Mayor, no México.

Patrocinado desde 1988 pela Red Bull, Baumgartner e uma equipe de engenheiros levaram mais de cinco anos para desenvolver seu traje e cápsula, que serão utilizados no salto programado para hoje (9). A roupa pressurizada se faz necessária devido as poucas condições existentes para a vida humana na estratosfera, com falta de oxigênio, frio de 68 graus Celsius abaixo de zero e muita pressão atmosférica.

Felix Baumgartner também levará câmeras para registrar seu salto e a Red Bull afirma que o projeto tem um viés científico, com o atleta sendo capaz de obter informações importantes sobre a reação do corpo humano naquela região do globo.

Atualização: E o vento atrapalhou...

Segundo o Gizmodo, o salto de Baumgartner não deu certo. Não por ineficiência do paraquedista, mas porque os ventos do Novo México tornaram a operação extremamente perigosa e inviável. Ao que tudo indica, a equipe terá de esperar até sexta-feira.