US$ 400 milhões em criptomoedas desaparecem de câmbio japonês

Por Redação | 29 de Janeiro de 2018 às 09h33

US$ 400 milhões em moedas NEM desapareceram da infraestrutura do CoinCheck, câmbio japonês que também é um dos principais serviços desse tipo no mundo. De acordo com os responsáveis pelo serviço, as moedas teriam desaparecido “ilicitamente” de sua infraestrutura e, até o momento da divulgação da informação, ninguém sabia com exatidão o que havia acontecido.

Ainda assim, de forma a proteger o dinheiro dos clientes da plataforma, todas as operações de câmbio, aquisição e venda estão suspensas. A notícia, aliada à interrupção, levou a uma queda na cotação das principais moedas do mundo. As NEMs, por exemplo, que estão no centro da ação, chegaram a ter baixa de mais de 10%, enquanto as bitcoins sentiram desvalorização de mais de 5% e a ripple passou a operar com queda de 10%.

Os rumores sobre o desaparecimento das moedas já vinham desde a última sexta-feira (26), mas só foram confirmados neste domingo (29). Sem especular sobre o que aconteceu, os responsáveis pelo CoinCheck apenas corroboraram a informação de que 500 milhões de unidades da NEM haviam desaparecido e que já estavam cooperando com autoridades japonesas em uma investigação sobre o ocorrido.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

De acordo com o cofundador do serviço, Yusuke Otsuka, o destino da transferência feita a partir da infraestrutura do CoinCheck já é conhecido, e agora os envolvidos trabalham para rastrear o dinheiro em prol não apenas de entender o que aconteceu, mas também de recuperar os fundos. Para desespero dos clientes, entretanto, essa nem de longe é uma possibilidade certa, sobre a qual o executivo evitou falar com mais detalhes.

A notícia e, principalmente, a falta de informações sobre o ocorrido causou pânico nos clientes do CoinCheck, um grupo que inclui até mesmo políticos e grandes investidores do Japão. Em comunicado oficial, a agência de serviços financeiros do país disse apenas que está trabalhando no caso e analisando os fatos envolvidos no desaparecimento das moedas virtuais.

As NEMs são a décima maior criptomoeda em valor total no mundo, sendo considerada uma das mais promissoras para novos investidores na medida em que o valor das Bitcoins seguia para o alto. O desaparecimento das unidades, entretanto, também representa um dos maiores casos do tipo na história desse setor.

Em uma das brechas mais notórias da história, em fevereiro de 2014, o MtGox anunciou ter perdido 750 mil unidades de bitcoins, entre moedas próprias e de seus clientes, um montante que, na época, valia US$ 473 milhões. Foi o fim do que era, na ocasião, um dos principais câmbios de moedas virtuais do mundo, chegando a ser o responsável por mais de 70% de todas as operações da categoria realizadas no mundo.

O ocorrido, ainda, vem em um momento complicado na situação das moedas virtuais na Ásia, com o governo chinês já tendo anunciado banimentos com relação a elas, e em meio a boatos de que a Coreia do Sul, um dos principais mercados da categoria, pode estar prestes a fazer o mesmo. A preocupação, sempre, é em relação à falta de regulação, algo que, na visão de legisladores, pode levar justamente a casos como os do MtGox e, agora, do CoinCheck.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.