Falha em câmbio japonês dá Bitcoins de graça para usuários

Por Felipe Demartini | 22 de Fevereiro de 2018 às 13h30
photo_camera DepositPhotos

Um erro no sistema de cálculo de cotações do Zaif, um dos principais câmbios japoneses de criptomoedas, fez com que Bitcoins fossem vendidos, brevemente, a um valor de US$ 0. O problema aconteceu por cerca de 20 minutos, mas não gerou prejuízos, uma vez que, segundo a companhia, todas as operações realizadas devem ser canceladas.

De um total de sete compras de criptomoedas realizadas durante a falha, seis já foram sustadas – a última ainda está em fase de análise e resolução, uma vez que o usuário responsável por ela, provavelmente sabendo se tratar de um problema, tentou transferir os fundos para carteiras externas logo após a aquisição. A expectativa, entretanto, é que o caso chegue a um final tranquilo para ambas as partes.

O problema aconteceu no dia 16 de fevereiro, mas foi revelado ao público somente nesta semana, após uma etapa de análises. De acordo com a companhia, a falha que levou à gratuidade momentânea das Bitcoins já foi resolvida e não deve se repetir – felizmente, ela aconteceu em um momento em que a quantidade de transações é, tradicionalmente, mais baixa, o que levou à pouca exploração do problema por parte dos usuários.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Como costuma acontecer quando o assunto são as criptomoedas, as dificuldades normalmente vêm em bando. O Zaif é de propriedade do Tech Bureau Corp, uma empresa japonesa que está registrada junto ao governo e segue todas as leis locais. Entretanto, ela também é uma das operadoras do Coincheck, que, no começo do mês, revelou a existência de problemas de segurança que levaram ao roubo de mais de US$ 500 milhões em moedas virtuais.

A brecha levou o câmbio a suspender as conversões de Bitcoins e outras modalidades em yens, de forma a garantir a integridade de seus sistemas e evitar a returada de mais criptomoedas roubadas. Além disso, a medida foi aplicada para garantir a saúde do próprio negócio, uma vez que, diante da brecha de segurança, muitos usuários começaram a fugir do serviço, algo que poderia levar a uma falência de maneira extremamente rápida.

O governo japonês ampliou a fiscalização e regulação sobre o mercado de criptomoedas, apesar de ainda não ter aplicado medidas restritivas como a Coreia do Sul, por exemplo. Por enquanto, as regras são voltadas, principalmente, para evitar a sonegação de impostos e evasão de divisas, mas garantindo a sobrevivência de companhias do setor e também o crescimento de startups relacionadas à tecnologia.

Entretanto, ao mesmo tempo, as autoridades já anunciaram uma investigação em relação ao roubo ocorrido nos sistemas da Coincheck e, também, pode ampliar o escrutínio sobre as operações do Tech Bureau Corp por conta da nova falha no Zaif.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.