Bitcoins perderão mais de um terço do valor até fim do ano, apontam analistas

Por Felipe Demartini | 03 de Abril de 2018 às 10h11

Dois professores do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, na Suíça, deram mais força às vozes apontando que o momento de frenesi em relação às bitcoins já ficou para trás. Usando conceitos matemáticos e análises de progressão, Spencer Wheatley e Didier Sornette preveem que as moedas virtuais devem perder mais de um terço de seu valor até o final do ano.

Se hoje esse mercado equivale a cerca de US$ 118 bilhões, a expectativa dos analistas é que, até dezembro, o valor total das moedas virtuais esteja em US$ 77 bilhões, ou seja, quase 35% a menos. Até lá, porém, a expectativa é de mais volatilidade – a previsão é que o movimento seja acelerado ao longo de 2018, o que inclui até mesmo fortes tendências de alta e supervalorização, seguidas de mais um período de baixas e perda de valor.

Metodologia

Os professores usaram, primeiro, um conceito chamado Lei de Metcalfe para prever isso, o que indicaria, também, que sua aplicação pode indicar alguma estabilidade em um futuro distante. Generalizando o conceito normalmente usado em redes, os estudiosos apontam que o valor da moeda deve se estabilizar na razão do quadrado de seu total de usuários. Foi assim que eles chegaram à marca dos US$ 77 bilhões, um total de mercado que, esperam, deve garantir certa tranquilidade para quem atua no setor.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Isso, claro, se a aplicação de um segundo modelo matemático não for sinal de problemas. Usando o conceito da “Lei de singularidade log-periódica”, em tradução livre, a dupla foi capaz de enxergar a presença de quatro bolhas especulativas distintas, baseadas em eventos do passado, que até hoje influenciam no comportamento do mercado. Entre elas estão, por exemplo, a falência do câmbio Mt. Gox, em 2014, ou os projetos de regulamentação governamental aplicados em diversos países no final do ano passado.

Para os especialistas, o uso de modelos matemáticos desse tipo permite remover um pouco do caráter de incerteza que ronda o mercado de criptomoedas, fazendo com que investidores e entusiastas possam, em vez de serem surpreendidos pelas mudanças, se prepararem para correções nos problemas. Especulação, volatilidade e, acima de tudo, desconhecimento sobre o potencial desse mercado estão entre os principais motivos apontados pelos pesquisadores para a queda, segundo eles, inevitavelmente vindoura.

Estabilidade

Apesar de apresentarem um cenário que parece ser sinistro, os professores estão otimistas, apontando que, da mesma maneira, 2019 deve apresentar uma estabilização nos valores de mercado na medida em que o frenesi vai esfriando – muito por conta das perdas financeiras. Por mais que as moedas virtuais, hoje, estejam longe da valorização explosiva do fim do ano passado, e com mais previsão de perdas, há Sol depois da tempestade que se avizinha.

Sendo assim, no final das contas, a dupla não refuta todas as expectativas dos entusiastas. Por um lado, seus dados mostram que os atuantes desse mercado podem esquecer uma expectativa de forte recuperação, principalmente, quanto às bitcoins. Ao mesmo tempo, entretanto, a aplicação de regulações internacionais e a presença dos grandes players devem reduzir os movimentos turbulentos, enquanto a tecnologia de blockchain, essa sim, estará por trás de muitos grandes feitos de um futuro nada distante.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.