O que sabemos sobre o Xbox One Scorpio

Por Pedro Cipoli | 21 de Julho de 2016 às 23h44

Rodar games de console em resolução 4K? Parece algo inacreditável, considerando que os consoles atuais fazem downscaling de alguns títulos para 900p ou mesmo 720p. Mas tudo indica ser verdade, e um novo console capaz disso tudo já tem nome: Xbox One Scorpio. Detalhes sobre ele já foram liberados, inclusive. Trata-se de uma nova parceria entre a Microsoft e a AMD, esta última dominando os 3 grandes consoles atuais, e vamos conhecer mais detalhes sobre ele, logo adiante, começando pela pergunta mais importante:

Games com resolução 4K em consoles realmente será possível?

Considerando as especificações liberadas do Xbox One Scorpio (antes chamado de "Project Scorpio"), tudo indica que sim, ele será capaz de rodar jogos em 4K sem grandes problemas. O poder computacional previsto para ele é de 6 TFLOPS. Como efeito de comparação, as GPUs da geração atual de consoles são de 1,31 TFLOPS (Xbox One) e 1,84 TFLOPS (Playstation 4), representando um poder de fogo de 3,58 a 2,26 vezes maior em relação a ambos, respectivamente.

Scorpio

Rodar todos os jogos em 4K não é para qualquer um, mas o Scorpio parece realmente estar à altura do desafio. Vale destacar que os consoles são mais otimizados do que os jogos para PCs, que são projetados para rodar em milhares de configurações diferentes. Então, mesmo que ele não seja tão potente quanto os PCs do ano que vem, ainda assim não é improvável que ele consiga sustentar 4K a 60 frames por segundo sem problemas.

Esse diferença de processamento entre o Xbox One e o PS4 se deve, principalmente (mas não unicamente), ao tipo de memória utilizado entre ambos (GDDR3 e GDDR5), o que limita o desempenho da própria GPU, já que ambos trazem chipsets projetados pela AMD com 8 núcleos de CPU. Aliás, parece que os 8 núcleos serão mantidos, ainda que os clocks provavelmente sejam maiores, e quem sabe (quem sabe!), uma nova arquitetura, já que o calendário de lançamento já prevê a introdução do Zen.

As limitações de banda de memória também não serão um problema, já que a previsão é de 320 GB/s, o que sugere que será do tipo GDDR5, e não HBM2, como rumores anteriores sugeriam. O motivo para não adotar o HBM2 parece mais econômico do que técnico, já que a sua implementação aumentaria consideravelmente o preço final do console, visto que que placas de vídeo que usam o HBM de primeira geração custam, sozinhas, mais do que o próprio console.

E a GPU?

Renderizar jogos em 4K não é para qualquer GPU, algo que poucas placas de vídeo de alto desempenho para PCs mais recentes são capazes de fazer, e somente os mais avançados. Tanto o PS4 quanto o Xbox One usaram GPUs customizadas da AMD, não disponíveis para computadores, projetadas unicamente para eles. A estratégia do Scorpio é mais ou menos semelhante, mas usando um chip já existente modificado para ele, algo conhecido como "semi-custom".

Scorpio

O interessante é que o Xbox S está previsto para chegar antes, sendo uma versão ligeiramente melhorada do Xbox One normal, em torno de 10%.

Enquanto as GPUs Polaris estão chegando ao mercado, a geração Vega já está tem alguns detalhes, que provavelmente estrearão em 2017. Qual geração será utilizada no Scorpio? Provavelmente as duas, sendo uma placa de vídeo com características de ambas, uma espécie de geração de transição. Isso significa que sim, quando o Scorpio for anunciado, a AMD já terá uma GPU de desktop mais potente do que a que o equipa, da geração Vega.

A questão que fica é se essa nova GPU será integrada ao processador ou será "offboard", como acontece em computadores de alto desempenho. No primeiro caso, espera-se que o Scorpio tenha 16 GB de memória dedicada, algo necessário para jogos em 4K (e também para mantê-lo no mercado por mais tempo) e com suporte a HSA. Caso seja offboard, o mais provável é que ele use uma configuração 8 GB (CPU) + 8 GB (GPU). Detalhes sobre a quantidade de memória ainda não foram divulgados, mas 16 GB parece mais correto, já que a "promessa" é rodar games em 4K a 60 frames por segundo, fazendo todo o sentido.

Será interessante vermos também como será o sistema de refrigeração do console, já que as configurações previstas exigirão um belo conjunto. Quem sabe um sistema de refrigeração líquido, ou mesmo uma solução termoelétrica, deixando-o silencioso quando os jogos exigirem o máximo da configuração.

Conclusão

O Xbox One Scorpio parece ser o console que os amantes de jogos estavam esperando, sendo um considerável upgrade em relação ao Xbox One, anunciado poucos anos antes. É interessante ver a Microsoft anunciar um upgrade tão considerável em pouco tempo (assim como a Sony, que provavelmente não deixará barato com o PS4K), já que o Xbox One foi anunciado 8 anos depois do Xbox 360, prazo que caiu pela metade dessa vez.

Scorpio

Independentemente de ser uma APU ou uma combinação de CPU com GPU, o sistema de refrigeração deve ser avançado o suficiente para aguentar todo o calor gerado pelos jogos. Será que dessa vez veremos alguma solução mais sofisticada de refrigeração?

Como ainda temos mais de um ano até o seu anúncio oficial, é de se esperar que seus detalhes ainda possam mudar, em especial quando consideramos que o Scorpio será um console habilitado para o VR (provavelmente trabalhando junto com o Oculus Rift). De qualquer forma porém, detalhes técnicos ficam em segundo plano, já que quem prefere jogar em console não está lá muito preocupado com as configurações, mas sim se ele entrega o que promete. Considerando o otimismo da Microsoft, temos todos os motivos para ficarmos ansiosos.

Fontes: TweakTown, TechRadar, IGN, GameSpot,