Desenvolvedores de emulador de Nintendinho querem chegar ao Xbox One

Por Redação | 09 de Setembro de 2016 às 14h01
photo_camera Evan Amos

Os desenvolvedores responsáveis pelo emulador Nesbox têm um sonho que poderia até parecer inalcançável: sair da obscuridade e publicar o software na Windows Store, o que permitiria que ele rodasse não apenas no PC, mas também no Xbox One. Esse ideal, entretanto, pareceu mais próximo nesta sexta-feira (09), quando o aplicativo foi aprovado pela Microsoft e parecia pronto para ser lançado na loja online.

O anúncio da novidade aconteceu por meio do Twitter, com os responsáveis pela aplicação agradecendo ao suporte de todos. Além de rodar os títulos do clássico Nintendinho, o Nesbox também traz ferramentas de desenvolvimento de jogos retro que podem ser usadas até mesmo por amadores, dando seus primeiros passos no mundo da programação e design de títulos com cara de clássicos.

Entretanto, a questão aqui parece ser maior do que isso. Se realmente aprovado e publicado, o Nesbox poderia ser também o primeiro emulador a dar as caras oficialmente em um console da concorrência. Os problemas legais que isso causaria, claro, já são imaginados: a Nintendo não é exatamente a empresa mais amiga daqueles que trabalham com modificação e emulação, normalmente emitindo notificações para retirada de conteúdo feito por fãs. Ela, com certeza, não ficaria muito feliz de ver seus títulos, mesmo que antigos, rodando no Xbox One.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A própria Microsoft parece estar ciente disso e, após a certificação, veio o primeiro sinal de problemas. Em uma atualização publicada pelos próprios desenvolvedores, eles afirmam que o aplicativo – chamado de “Universal Emulator” – até poderia ser visto na loja online, mas seu download não funcionaria nem mesmo no PC, quanto mais no Xbox One e dispositivos móveis com Windows. Tudo, então, pode ter ido por água abaixo.

Essa foi a última palavra sobre o assunto. Quebras de propriedade intelectual e pirataria são proibidas de acordo com os termos de uso da Windows Store, e aplicativos que incorram nessas práticas não podem ser publicados na loja. Entretanto, emuladores caem em uma área cinza desse tipo de legislação: sua existência e utilização não são ilegais, desde que o código usado para rodar os jogos seja totalmente original. O que é proibido, entretanto, é o download das ROMs, ou seja, os games, efetivamente.

Sem mais comunicados oficiais, porém, fica difícil saber o que vai acontecer. Os desenvolvedores não falaram mais sobre o assunto, e parece improvável que a Microsoft vá se pronunciar sobre. A Nintendo também está quieta, mas caso o aplicativo seja publicado na Windows Store, deve tentar dar as caras por meio das já tradicionais notificações judiciais que emite em casos semelhantes a esse.

Fonte: Nesbox (Twitter)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.