Comercial com ator Aaron Paul causa problemas para donos de Xbox One

Por Redação | 16.06.2014 às 12:05
photo_camera Divulgação

Novamente, um comercial do Xbox One está causando problemas e uso indevido para os usuários do console nos Estados Unidos. Agora, a propaganda é protagonizada por Aaron Paul, que interpretou Jesse Pinkman na série de sucesso “Breaking Bad” e diz diversos dos comandos de voz do videogame da Microsoft, como “Xbox On”, para ligar o console; ou “Xbox Go to Titanfall”, para iniciar o mais recente game da Respawn Entertainment.

Seria apenas mais uma propaganda comum de televisão não fosse o fato do Kinect dos usuários do console estarem reconhecendo os comandos de Paul como os do próprio dono e, assim, ligando o console “sozinho” ou iniciando jogos sem que o usuário tenha requisitado. Outras funções ativadas pelo ator no vídeo são as de gravação de clipes de jogatina e divisão da tela de jogo com a programação da televisão.

A falha acontece quando o Kinect, o sensor de movimentos e voz do console, está ativado. Sendo assim, ele escuta durante todo o tempo tudo o que acontece na sala da casa dos usuários e, ao identificar um comando reconhecível, realiza essa função. Isso vale até mesmo para quem está assistindo TV a partir do Kinect e, caso também possua Titanfall, vê seu programa favorito sendo interrompido pelo carregamento do jogo de tiro.

A única solução para isso é desativar o Kinect completamente ou, pelo menos, a função que faz com que ele ouça tudo o que está acontecendo a seu redor. A ação, no entanto, não é exatamente a mais recomendada, principalmente pelo recurso ser uma das principais novidades do console. Além disso, a “onisciência” do Xbox One é vista como um dos grandes pontos de destaque para a Microsoft na tentativa de trazer mais praticidade às salas de seus clientes.

Um último ponto que merece ser citado é o fato de, apesar do Kinect ser um dos destaques do comercial, o preço exibido ao final do vídeo (US$ 399) equivale ao pacote do Xbox One sem o sensor de movimentos. A mudança foi feita pela Microsoft para diminuir o custo de entrada do videogame e, acima de tudo, equiparar seu valor ao do rival PlayStation 4.

Para a empresa, agora, o Kinect constitui a oferta “premium” do aparelho, com a fabricante esperando que mesmo os jogadores que comprarem o Xbox One sem o Kinect voltem no futuro e comprem o sensor. No Brasil, essa versão do console sai por R$ 1.999 contra R$ 2.299 do kit “premium”.