Startup inglesa apresenta hub inteligente para as casas do futuro

Por Gabriel Sérvio | 04 de Junho de 2016 às 23h00

A empresa com sede em Londres quer desenvolver maneiras diferentes e mais naturais para controlar as casas inteligentes. A AI Build já trabalha a algum tempo em um protótipo de um dispositivo chamado 'aiPort'. O hub inteligente promete, por exemplo, acender as luzes de casa de forma tão natural como levantar e apertar você mesmo o interruptor.

Os planos para o sucesso do projeto, envolvem uma técnica de programação baseada em aprendizado e interação visual para instruir comandos ao hub inteligente. De acordo com o co-fundador e CEO da AI Build, Dagham Cam, o dispositivo também vai incluir uma série de câmeras.

O hub fica instalado no telhado das casas conectadas, dessa forma as seis câmeras 360 graus presentes no dispositivo conseguem cobrir toda o espaço dos cômodos. Um computador embutido no aparelho, pode ser "ensinado" a perceber quais objetos e pessoas estão presentes no quarto, dessa maneira o hub consegue reconhecer os usuários, e pode começar a responder por uma série de comandos e gestos.

Para facilitar a interação, o hub inteligente utiliza algoritmos de reforço de aprendizado. Isso significa que com o passar do tempo o dispositivo vai ser capaz de reconhecer a gestos e reconhecimento de voz dos usuários. O CEO destacou que os clientes que investirem na novidade ainda poderão customizar as respostas do dispositivo a gestos específicos. Confira o vídeo de apresentação do produto:

A presença de câmeras em casa levantam uma série de questões de privacidade e segurança. Cam disse que a AI Build trabalha em soluções de segurança para manter todos os dados a salvo com encriptação. Diferentes de outras soluções semelhantes que apostam em dados salvos na nuvem, o aiPort vai armazenar todos os dados localmente.

Mas a inovação e a facilidade do sistema não vai sai barato, pelo menos por enquanto. A startup já trabalha em soluções para diminuir o preço final do sistema. Uma das ideias, é investir em moldes de peças que podem ser produzidas em larga escala utilizando impressoras 3D. O sistema mais eficiente de produção poderia ajudar a baratear o custo final do hub no futuro.

A companhia investiu no projeto cerca de £100,000 para montar a equipe e criar os primeiros protótipos. Todo o processo envolveu muita programação e mudanças de design. A AI Build promete exibir uma unidade do aiPort totalmente funcional já nos próximos meses.

Se tudo der certo, mais 100 unidades do sistema serão vendidas no site Indiegogo por £750 (cerca de R$ 3940,00 em conversão direta). O lucro gerado com as vendas será utilizado para finalizar o projeto do aiPort até o fim de 2017.

Via: Forbes

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.