Itália terá rodovia inteligente com postes conectados e drones

Por Redação | 29 de Janeiro de 2018 às 11h54

Um conceito de estrada do futuro está prestes a se tornar realidade por uma parceria entre o governo da Itália e o escritório de design Carlo Ratti Associati. Em um projeto com valor estimado de € 30 milhões, pouco menos de R$ 120 milhões, 2.500 quilômetros da malha rodoviária do país serão cobertos por postes inteligentes e drones, que fornecerão informações aos motoristas e prestarão serviços de assistência.

No conceito imaginado por Ratti, que também já atuou como professor do MIT, nos EUA, os drones serviriam como assistentes de alertas móveis para os condutores. Conectados a uma rede sem fio, os equipamentos informariam aos motoristas sobre acidentes, lentidões e outros incidentes adiante, de forma a permitir tempo suficiente de reação para redução de velocidade, evitando novos acidentes ou engavetamentos.

Além disso, os robôs voadores serão capazes de transmitir imagens de acidentes e eventos para as autoridades, de forma que eles possam enviar o tipo de suporte adequado à situação. Outra atividade que os drones poderão desempenhar é carregar materiais de apoio, como água, kits de primeiros socorros ou equipamentos de proteção, prestando a assistência inicial às vítimas e ajudando na contenção de vazamentos ou cargas perigosas, por exemplo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os postes conectados servirão como base para os drones, permitindo que eles recarreguem as baterias e também se mantenham conectados à rede. No caso de um acidente detectado à frente, as máquinas podem entrar em ação a quilômetros de distância, de forma a reduzir engarrafamentos. Sabendo de um incidente ainda à distância, motoristas podem evitar o lugar e procurar rotas alternativas, por exemplo.

A partir de bases nos postes, drones darão informações a motoristas.

Ainda, quando tudo estiver bem, os drones poderão ser usados para inspeções e outras atividades, sob o controle de pilotos ou agindo de maneira autônoma. As máquinas teriam serventia, por exemplo, em operações de combate ao crime, catástrofes ambientais ou simples observação das vias, indicando pontos onde manutenção é necessária ou gargalos estruturais que podem melhorar a circulação dos veículos.

A inspiração é o Waze, um dos principais serviços de navegação existentes nos smartphones, mas a ideia é que o sistema italiano independa de informações humanas. Um sistema de inteligência artificial, trabalhando ao lado de outros sensores e câmeras já disponíveis hoje nas estradas, será o responsável por inserir as informações no sistema e emitir os alertas, com os drones envolvidos funcionando de maneira autônoma.

O total de 10% da malha rodoviária italiana será usado como piloto de um projeto que pretende introduzir tecnologias desse tipo não apenas em estradas, mas também nas cidades. Redes de dados e drones são a principal ideia de Ratti quando o assunto são as cidades inteligentes, representando não apenas um grande passo adiante em termos de mobilidade urbana, mas também ganhando ainda mais corpo com a aplicação de tecnologias de direção autônoma, que também dependem desses dados ao mesmo tempo que alimentarão o sistema com ainda mais informações sobre os carros que estão rodando na via.

Não há previsão de lançamento do sistema, mas a ideia é que ele esteja instalado e funcionando em alguns meses, e não anos. Também não existe previsão de aplicação das tecnologias em outros países ou malhas viárias.

Fonte: FastCo Design

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.