Google Cloud traz solução que conecta clientes a dados na AWS e Azure

Por Camila Rinaldi | 14 de Julho de 2020 às 09h00

Hoje (14) começa oficialmente o Next OnAir 2020, a versão digital do maior evento de tecnologias de nuvem do Google. Por conta disso, tivemos alguns anúncios importantes para as áreas de segurança e análise inteligente de dados. Em 2020, o destaque vai para o BigQuery Omni, desenvolvido para a plataforma multi-cloud Anthos, que fornece uma experiência de análise unificada do que está hospedado na nuvem; e o novo portfólio Confidential Computing, que possibilita a criptografia dos dados em uso, tanto em repouso como em trânsito.

BigQuery Omni: conecta clientes a dados na AWS e Azure

A nova solução flexível BigQuery Omni permite que os clientes analisem dados entre plataformas. Em outras palavras, a inovação permitirá que os clientes conectem diretamente seus dados no Google Cloud, AWS e Azure para que sejam analisados sem a necessidade de mover ou copiar conjuntos de dados. Em uma interface única de usuário, será possível analisar dados na área em que eles estão armazenados.

Arquitetura da BigQuery Omni (Divulgação: Google Cloud)

Isso foi desenvolvido pela equipe da Anthos, a plataforma híbrida do Google Cloud, que permite que usuários adotem uma estratégia multi-cloud. Isso significa que os clientes podem adotar nuvens públicas de diversos fornecedores (mesmo de competidores, como Amazon e Microsoft) de forma simplificada. Assim, com o BigQuery Omni, é possível que os serviços do Google Cloud Platform (GCP) sejam executados em outras nuvens, como é possível perceber no gráfico abaixo.

De acordo com Debanjan Saha, gerente geral e vice-presidente de engenharia do Google Cloud, “o BigQuery Omni fornece às empresas a capacidade de abertura necessária para quebrar silos e criar insights de negócios, sem ter que pagar altas taxas para mover dados a partir de outros provedores de nuvem para o Google Cloud".

Funcionamento da BigQuery Omni (Divulgação: Google Cloud)

Considerando que a adoção de nuvens híbridas e multi-cloud estão entrando na agenda da indústria, o BigQuery Omni é a resposta do Google para que cada vez mais empresas tenham uma experiência consistente e de menor complexidade no uso de várias nuvens.

O BigQuery Omni está disponível no Private Alpha para AWS S3, e terá, em breve, suporte da Azure. O BigQuery Omni suporta Avro, CSV, JSON, ORC e ​​Parquet. Para mais sobre como trazer o BigQuery Omini, visite o blog do Google Cloud.

O que é o Google Cloud?

O Google Cloud oferece infraestrutura de ponta, plataformas e soluções da indústria. Fornecemos recursos de nuvem corporativa que utilizam a tecnologia avançada do Google para apoiar empresas no ganho de maior eficiência.

Confidential Computing: privacidade na escala máxima

O novo portfólio de Confidential Computing permite criptografia de dados em uso. Levando em consideração que a maior preocupação de uma empresa é o processamento de dados confidenciais, o Google Cloud passa a oferecer criptografa de dados tanto em repouso, como em trânsito.

Desta forma, a Confidential Computing possibilita a criptografia dos dados em uso, isso enquanto estes estão sendo processados. De acordo com o Google, os ambientes que utilizam a solução mantêm os dados criptografados na memória e em outros locais, fora da unidade central de processamento (CPU). Logo, essa tecnologia preserva a confidencialidade destes dados.

Confidential VMs em ação (Divulgação: Google Cloud)

A Confidential VMs é a primeira solução de Confidential Computing do Google Cloud. O provedor de nuvem já possui variadas técnicas de isolamento e sandboxing - mecanismo de segurança para separar programas em execução - como parte de sua infraestrutura para ajudar na proteção de sua arquitetura de multi-locatários. Mas agora, as Confidential VMs oferecem criptografia de memória para que os clientes possam isolar ainda mais as cargas de trabalho na nuvem.

Além da Confidential VMs tornar a experiência mais simples com a solução, o Google afirma que não exige alteração de código nos aplicativos e nem compromete o desempenho.

Desempenho da Confidential VMs (Divulgação: Google Cloud)

"Clientes de todos os setores estão transitando pelas complexidades da conformidade e privacidade na nuvem, especialmente aqueles de setores regulamentados, como as empresas de serviços financeiros e assistência médica ou agências governamentais", explica Sunil Potti, gerente geral e vice-presidente de segurança do Google Cloud.

Segundo Eduardo Lopez, Presidente de Google Cloud para América Latina, o futuro da computação em nuvem migrará cada vez mais para serviços privados e criptografados, visto que os usuários estarão no controle da confidencialidade de seus dados.

Neste momento, a Confidential VMs está disponível apenas na versão beta.

Uma visão geral do Google Cloud no Brasil

Em 2020, o Google fará 15 anos no Brasil. Entre os serviços mais importantes da empresa, como o sistema operacional Android e o Google Fotos, a plataforma de nuvem do Google também está presente no Brasil, isso desde 2017. Para saber como estão os investimentos nessa área no país, conversei com Camila Zoé Frias, que lidera o time de Comunicação e Relações Públicas do Google no Brasil.

Confira os destaques da conversa abaixo.

Canaltech: Como está a estrutura de Cloud no Brasil hoje?

Camila Zoé Frias: Desde a chegada de Thomas Kurian na liderança de Google Cloud, o Brasil tem sido um mercado prioritário na estratégia internacional. No ano passado, América Latina virou uma região independente dentro da estrutura de vendas, o que permite que a operação tenha mais autonomia para desenvolver soluções adaptadas às necessidades específicas dos clientes dessa região e também os brasileiros. Além disso, alinhados com nossa estratégia global, os times locais de vendas foram robustecidos e ganharam uma nova liderança conduzida por Eduardo López, Presidente de Google Cloud para América Latina, e eu na frente da operação do time do Google Cloud Brasil.

Temos otimizado nossas operações internas para facilitar os negócios, organizando nossas forças de vendas por verticais de atuação, como varejo, finanças, saúde e indústria. Com isso, passamos a ter um profundo conhecimento para oferecer soluções de tecnologia mais eficientes para os clientes locais. Também apostamos na especialização dos nossos times e parcerias estratégicas para dar suporte à implementação da nuvem por aqui.

Estamos em uma posição única para ajudar as empresas a buscar a transformação digital, ajudando em suas demandas de negócios. Agora, também estamos preparando-as para ajudar seus clientes a serem mais eficientes. O setor deve continuar crescendo, segundo estudo do Gartner, por conta dos impactos econômicos gerados pela COVID-19, haverá uma redução de 8% nos gastos com TI até o final de 2020. No entanto, a consultoria analisa que os investimentos em nuvem, especialmente na pública, podem crescer 19% no mundo neste ano.

CT: A infraestrutura local é suficiente para aproveitar o potencial de todos os serviços que Cloud oferece?

CZF: Nossa infraestrutura tem um carácter global e está desenhada para que clientes de diferentes mercados, tamanhos e regiões possam avançar em sua transformação digital. Da inauguração de novas regiões, até a instalação de novos cabos submarinos e terrestres, nos dedicamos a ajudar os clientes a se conectarem com mais pessoas, não importando sua localidade.

O principal objetivo é permitir que eles migrem, modernizem e executem suas cargas de trabalho, de maneira segura e econômica, utilizando nossa infraestrutura global, segura, sustentável e confiável. Ao todo temos 24 regiões de cloud pelo mundo, 73 zonas e 144 pontos de presença disponíveis em mais de 200 países. No Brasil, temos uma região de Google Cloud, localizada em São Paulo, e acabamos de anunciar nossos planos para trazer uma segunda região na América do Sul, em Santiago, Chile.

CT: Há profissionais qualificados para atuar com as soluções da empresa ou isso ainda é um desafio?

CZF: Sendo uma tecnologia que ainda tem muito espaço para crescer, uma de nossas prioridades tem sido desenvolver profissionais que possam criar na nuvem. Pensando nisso, investimos em treinamentos on-line gratuitos voltados para quem deseja desenvolver seus conhecimentos sobre essa tecnologia, como o Cloud OnBoard. Este ano, lançamos para os profissionais locais, cursos com conteúdos voltados aos países latino-americanos, adaptados para cada região, ensinando sobre o trabalho com Big Data, inteligência artificial e machine learning, além do desenvolvimento de aplicações, usando o Google Cloud Platform (GCP). Também trabalhamos com o Cloud OnAir, série de treinamentos e webinars voltados para profissionais de TI que querem se especializar e obter certificações em Cloud.

Em março, iniciamos um projeto no qual estamos dando capacitação em nuvem para pessoas pertencentes a minorias sociais do Recife. Apostamos sempre na especialização constante dos nossos engenheiros para criar uma estrutura de suporte empresarial com maior especialização. Outro exemplo disso é a criação de um time específico para Business Inteligence (BI), após observarmos que as empresas precisam entender melhor o potencial da nuvem por aqui.

Para se ter uma ideia, até 2024, a busca por profissionais qualificados para nosso mercado chegará a 70 mil pessoas por ano no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), e queremos contribuir para formar essas pessoas.

Como acompanhar o Google Cloud Next’20

O Google Cloud Next'20 é uma série de eventos digitais gratuitos, com nove semanas de duração, que acontecem a partir de 14 de julho.

A inscrição é gratuita e serão mais de 200 sessões on-line, desde palestras com novidades da indústria a oportunidades de aprendizado avançado, com os principais desenvolvedores do Google. Para se inscrever, basta acessar ao site do NextOnAir. Todas as sessões são em inglês.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.