Estudo da Cisco indica que tráfego da nuvem deve quadruplicar até 2020

Por Redação | 16.11.2016 às 18:21

O tráfego da nuvem deve aumentar significativamente nos próximos cinco anos, de 3,9 ZB (zetabytes) ao ano, em 2015, para 14,1 ZB, ao ano, até 2020, ou seja, quase quadruplicar neste período, de acordo com novo estudo da Cisco denominado Cisco Global Cloud Index (2015-2020).

Esse rápido crescimento é atribuído ao aumento da migração para arquiteturas de nuvem por conta da capacidade de se expandir rápida e eficientemente e suportar mais cargas de trabalho do que os datacenters tradicionais. Com a maior taxa de virtualização dos datacenters, os operadores de nuvem poderão oferecer maior variedade de serviços para empresas e consumidores com um desempenho ideal.

Ainda segundo a pesquisa, a nuvem dominará e vai superar o crescimento dos tradicionais datacenters até 2020, quando 92% da carga de trabalho será processada por datacenter de nuvem e 8% por datacenters tradicionais. Além disso, daqui cinco anos, 68% (298 milhões) da carga de trabalho de nuvem estará em datacenters de nuvem pública, em comparação aos 49% (66,3 milhões) em 2015.

Tecnologias como Internet das Coisas (IoT) e Big Data vão impulsionar o mercado. Nesse sentido, IoT será um enorme gerador de dados, atingindo 600 ZB por ano até 2020, 275 vezes maior que o tráfego projetado entre os datacenters e dispositivos/usuários finais (2,2 ZB); 39 vezes maior que tráfego total projetado de datacenters (15,3 ZB). Já o Big Data vai impulsionar o crescimento geral de dados armazenados. Globalmente, os dados armazenados em datacenters vão quintuplicar até 2020, atingindo 915 EB (exabytes) até 2020, um incremento de 5,3 vezes a partir do patamar de 171 EB do ano passado.

Demais projeções

O estudo ainda revela que mais consumidores buscarão armazenamento na nuvem. Até 2020, 59% dos consumidores de internet (2,3 bilhões de usuários) usarão recursos de armazenamento pessoal na nuvem, a partir dos 47% (1,3 bilhão de usuários) em 2015. No mesmo período, o tráfego gerado por armazenamento na nuvem por consumidor será de 1,7 GB por mês, contra 513 MB em 2015.

E, para acomodar a migração dos dados dos dispositivos de consumidores para a nuvem, a capacidade de armazenamento dos datacenters está aumentando. Até 2020, a capacidade instalada de armazenamento dos datacenters crescerá de 382 EB em 2015 para 1,8 ZB, número cinco vezes maior.

Nos próximos cinco anos, a capacidade total instalada de armazenamento dos datacenters de nuvem será responsável por 88% do armazenamento total dos datacenters, em comparação aos 64,9% em 2015, ainda segundo o estudo da Cisco.