Apple paga US$ 30 milhões por mês para usar serviço de nuvem da Amazon

Por Thaís Augusto | 22 de Abril de 2019 às 17h28
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

A Apple está usando o serviço de nuvem da concorrente Amazon para impulsionar os próprios produtos, como o iCloud. No final de cada mês, a gigante de Cupertino paga mais de US$ 30 milhões pelo Amazon Web Services (AWS) – um aumento de 10% em comparação com o valor gasto no ano passado.

A "parceria" chama atenção porque as duas empresas oferecem serviços parecidos como as assistentes Siri e Alexa e os alto-falantes HomePod e Echo. O movimento demonstra que a gigante de Cupertino está disposta a cultivar boas relações com empresas rivais, o que não acontece entre Apple e Facebook, que costumam trocar farpas a cada oportunidade.

De acordo com o site CNBC, a Apple gasta mais de US$ 300 milhões por ano para garantir os serviços da nuvem da Amazon. Além do iCloud, é possível que a Maçã esteja confiando na nuvem para mais serviços, especialmente o Apple News+, Apple TV+ e Apple Arcade.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Recentemente, a Apple também assinou um acordo de US$ 1,5 bilhão com a Amazon para usar os serviços web da empresa pelos próximos cinco anos.

A Maçã é uma das empresas de tecnologia que mais desembolsam com o AWS. A Lyft pagará cerca de US$ 300 milhões pelo serviço de nuvem até o fim de 2021, enquanto o Pinterest se comprometeu a pagar pelo menos US$ 750 milhões para a Amazon até 2023. Isso equivale ao gasto de US$ 100 milhões ao ano para a Lyft e US$ 125 milhões por ano para o Pinterest.

Já o Snapchat gastará US$ 1,1 bilhão com o AWS até o final de 2022. Pelo menos US$ 150 milhões serão desembolsados neste ano.

A reportagem do CNBC também observou que a Apple está procurando um engenheiro sênior para "liderar e arquitetar nossa crescente presença na AWS".

Atualmente, a Apple possui 1,4 bilhão de dispositivos ativos em todo o mundo. Destes, mais de 900 milhões são iPhones.

Fonte: 9TO5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.