SAP se une à IBM para expandir seus serviços na nuvem

Por Redação | 17.10.2014 às 11:40

A SAP está dando mais um passo importante para a expansão de seus serviços na nuvem. A empresa está anunciando uma parceria para disponibilizar a plataforma Hana Enterprise Cloud por meio da infraestrutura online da IBM, sua antiga aliada em diversos segmentos de tecnologia. A ideia é facilitar a transição de negócios de pequenos a gigantes, que, agora, poderão contar com uma opção de migração de suas aplicações a partir de uma base já conhecida.

Essa não é a primeira vez que as duas empresas se unem dessa maneira, no que, para elas, é considerado mais como a continuidade de uma união já existente do que um novo começo. As soluções da SAP, por exemplo, já são oferecidas aos clientes da IBM como parte de sua plataforma Cloud Managed Services. Agora, porém, elas se juntam de uma maneira muito mais próxima, o que envolve também estruturas físicas e equipamentos.

Como parte do acordo, que não teve valor nem muitos de seus termos revelados, a SAP passa a utilizar mais de 60 data centers, de sua propriedade ou, então, sob o controle da IBM. A união da infraestrutura permite mais versatilidade e facilita os processos de migração, já que tudo está sob uma mesma administração e, agora, conectado entre si.

Além disso, como publicou a PC World, IBM e SAP têm uma preocupação crescente com os escândalos de espionagem detonados no ano passado. As infraestruturas de ambas as empresas foram alvos de ataques e brechas criadas pela NSA e, agora, um controle maior sobre os próprios servidores e data centers vai permitir que a privacidade e o acesso aos dados dos clientes sejam controlados de maneira mais apurada, com facilidade na identificação de intrusões e medidas de segurança aplicadas com mais versatilidade.

Quem quiser, porém, poderá continuar atuando como já faz hoje, rodando as aplicações do Hana Enterprise Cloud diretamente de seus próprios servidores, só que contando com um suporte aprimorado das companhias. Pensando nisso, a SAP está anunciando também um congelamento de seus custos de manutenção até 2025, incluindo a Business Suite 7, de forma a garantir uma transição tranquila para a nuvem e também a noção de que, pelo menos nesse aspecto, não existirão custos adicionais como parte desse movimento.