Nuvem híbrida é uma das principais apostas de executivos brasileiros para 2015

Por Redação | 26 de Dezembro de 2014 às 11h25

Um estudo, realizado com mil executivos de alta gestão, líderes de unidades de negócios e executivos com poder de decisão de TI de 21 países, mostrou que as empresas preveem que mais da metade das aplicações e serviços serão implantados na nuvem híbrida dentro de aproximadamente três anos.

A pesquisa foi encomendada pela Avanade, empresa fornecedora de soluções de tecnologia de negócios e serviços gerenciados. Nela, também foi apurado que, enquanto as empresas de todos os tamanhos e regiões consideram a adoção da nuvem hibrida uma prioridade, há muita confusão sobre o que exatamente ela significa, além dos preparativos necessários antes da adesão.

Saindo na frente da concorrência

Apesar das preocupações sobre segurança e privacidade, existe um ponto crítico para a utilização efetiva da nuvem híbrida. Ainda segundo a pesquisa, as empresas de todo o mundo esperam que as soluções encontradas neste formato de nuvem proporcionem uma vantagem frente aos seus concorrentes.

Curiosamente, com os gastos em TI se movimentando para fora dos departamentos de tecnologia, os membros da alta gestão são os mais otimistas em relação ao valor das soluções de nuvem híbrida e os mais motivados a adotá-las. Na verdade, eles são 32% mais propensos a aderir do que os líderes da TI, defendendo imediatamente o movimento para aplicações críticas com dados, análises, aplicações de e-commerce e serviços voltados para o cliente.

Apesar destes resultados positivos, a pesquisa também mostra que as empresas ainda não tomaram um passo importante para realizar esta vantagem competitiva, já que a maioria não desenvolveu uma estratégia para usar nuvem híbrida como parte integrante da infraestrutura da empresa.

Um recorte mais apurado

Embora a pesquisa mostre que o prazo para implementação possa ocorrer em até 5 anos, o mercado brasileiro se mostrou mais apressado: cerca de 80% dos entrevistados dizem que a estratégia de nuvem híbrida deve ser um dos maiores focos para as empresas já em 2015, a maior média entre os 21 países que responderam à pesquisa.

“Ainda existe a falta de informação sobre os benefícios da nuvem híbrida, pois é natural que no primeiro momento a empresa foque apenas nos custos da operação.”, diz Marcelo Serigo, CTIO da Avanade Brasil.

Com melhorias na segurança e privacidade ao longo dos últimos três anos, a Avanade acredita que a nuvem híbrida passou de uma promessa para a realidade, e é uma possível vantagem para que as organizações deixem de lado a preocupação com a parte técnica e se concentrem em questões que são fundamentais para o crescimento do negócio.

Alguns Destaques

Além de todos os dados apontados acima, a pesquisa da Avanade também acabou por coletar uma série de dados importantes para quem cogita trabalhar com a nuvem híbrida:

• As empresas estão investindo nas soluções de nuvem hibrida em um ritmo mais rápido do que o de nuvens públicas ou privadas, com 69% das empresas concordando que a implementação deste tipo de solução será um dos grandes focos da área para 2015. No Brasil este número é de exatos 79%.

• Apesar de concordarem que a adoção da nuvem hibrida é uma de suas prioridades, atualmente 58% das empresas não têm uma estratégia de implementação.

• Poucas empresas compreendem o potencial da nuvem híbrida. 16% dos entrevistados são capazes de identificar a gama de benefícios proporcionados, como a capacidade de integrar nuvens “convencionais”, gerenciar e ajustar melhor a carga de trabalho, compartilhar a carga de trabalho em múltiplas nuvens públicas.

• A maioria dos entrevistados (74%) concorda que a adoção da nuvem híbrida permitirá que suas organizações concentrem-se em questões que são fundamentais para o crescimento do negócio.

• 71% das empresas ainda não estão preparadas para receber a nuvem híbrida. Essas companhias estão simplesmente usando a infraestrutura que têm para executar aplicativos existentes.

• 53% das empresas identificam problemas com segurança e privacidade como principal preocupação à implementação, mas 60% admitem que as soluções de nuvem pública são mais seguras do que há três anos.

• Empresas de todos os tamanhos e de todas as regiões esperam que mais da metade de seus aplicativos e serviços seja implantada em um ambiente de nuvem híbrida num prazo médio de três anos.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.