Em cinco anos, a computação em nuvem deve atingir a marca de 4,3 zettabytes

Por Redação | 25.10.2012 às 18:25

A previsão do relatório anual da Cisco (Cisco Global Cloud Index) é de que o tráfego total de dados no planeta aumente quatro vezes até 2016, chegando a um total de 6,6 zettabytes por ano. Já o tráfego na nuvem deverá alcançar a marca de 4,3 zettabytes no mesmo período. Segundo o relatório, a taxa de crescimento anual é de 44%.

O pessoal da RCRWireless destaca que a maior parte do tráfego não é causada por usuários finais, mas sim pelos data centers que abrigam os dados da computação em nuvem. Estes são praticamente invisíveis para os indivíduos em geral.

Por exemplo, para o período de 2011 a 2016, as previsões da Cisco são de que cerca de 76% do tráfego de dados fique alocado nos data centers. Um adicional de 7% é somado a esse número, representando a replicação de dados e softwares ou sistema de atualizações. Os 17% restantes são correspondentes aos usuários finais navegando na web, checando e-mails e streaming de vídeos.

Separando o tráfego de dados por região, de 2011 a 2016, o Oriente Médio e a África deverão ter a maior taxa de crescimento na carga de trabalho da nuvem (73%); seguida pela América Latina (60%) e pela Europa Central e Oriental (50%).

O estudo também chama a atenção para a melhora na velocidade de upload e download nas redes móveis. O motivo seria a crescente adoção global de tecnologias móveis avançadas, como a terceira e quarta geração (3G e 4G), e da procura mundial por suporte sem fio. Atualmente, as redes fixas ainda oferecem uma velocidade melhor do que as móveis.