EMC adquire startup focada em SSD para data centers

Por Igor Lopes | 05.05.2014 às 22:43 - atualizado em 06.05.2014 às 17:49

* Em Las Vegas, EUA

Durante a EMC World 2014, que acontece esta semana em Las Vegas (EUA), a empresa líder em storage anunciou a compra da DSSD, uma startup pouco conhecida do Vale do Silício, mas que vem revolucionando o mercado de flash drives para servidores. Segundo Jeremy Burton, presidente da área de Infraestrutura da EMC, a compra vai permitir "a produção e venda de armazenamento flash para data centers em 'rack-scale'" e criará uma "nova categoria de storage que vai melhorar o IOPS, a largura de banda e latência, além de permitir o armazenamento de centenas de terabytes em um único disco.

A DSSD tinha uma presença discreta no mercado, muitos nem nunca tinham ouvido falar nela e o site oficial da empresa não traz nem telefone de contato, apenas o logo e um e-mail. Apesar disso, o time que encabeça a startup é de peso: Andy Bechtolsheim, chairman da Arista Networks e apontado como o "Steve Jobs do mercado corporativo de TI", comanda a empresa ao lado de Bill Moore, um dos grandes nomes por trás das inovações da antiga Sun Microsystems.

dssd

Andy Bechtolsheim é recebido por Joe Tucci na abertura da EMC World 2014 (Foto: Igor Lopes/Canaltech)

A aquisição deve ser concluída ainda neste segundo trimestre e os produtos fabricados pela empresa devem chegar ao mercado em 2015. Apesar da EMC não ter permitido que a imprensa fizesse perguntas para os executivos (com a desculpa de que ainda não há produto e, por isso, não é possível discutir detalhes), as expectativas são grandes. "Se você tem aplicações que são muito intensas, precisam de uma latência baixa e uma grande largura de banda, essa empresa terá os produtos de armazenamento para você", disse o CEO da EMC, Joe Tucci, durante seu keynote.

Burton afirmou que os produtos desenvolvidos pela DSSD terão capacidade de centenas de terabytes, 100% em flash, com a possibilidade de endereçar todo o espaço para armazenamento ou RAM. Apesar do hardware parecer bastante interessante, Bechtolscheim disse que o software foi a chave para tamanho sucesso – a empresa diz estar desenvolvendo seu sistema para ser otimizado para aplicações que produzem, consomem e processam grandes quantidades de dados, como o SAP HANA e o Pivotal Big Data. Em um vídeo chat com Tucci, o co-CEO da SAP, Bill McDermott, confirmou que a SAP tem trabalhado com a DSSD e demonstrou grandes expectativas de ver o HANA rodando na plataforma. "Não estamos falando de arquivos ou blocos, estamos falando de acelerar aplicações como Hadoop ou o SAP HANA", completou Bechtolscheim.

A intenção é fazer da DSSD uma empresa independente e integrante do guarda-chuva EMC. Bill Moore deve tocar o negócio no dia a dia, enquanto Bechtolsheim "vai atuar como um conselheiro estratégico" após a aquisição.

A EMC vem apostando forte no mercado de flash para servidores e, apesar desse tipo de hospedagem apresentar um crescimento rápido e recente, os números da IDC apontam que apenas 2,82% de todo o armazenamento em servidores serão baseados em flash daqui a 3 anos. Mas Burton não parece desanimado com essa previsão: para ele, "a transição para o flash será muito mais rápida do que prevê a IDC".

* O jornalista viajou para LAs Vegas a convite da EMC.