Com ‘nuvem contínua’, empresas crescem sem comprometer estabilidade do sistema

Por Colaborador externo | 23 de Julho de 2014 às 09h35

*Adriano Filadoro

O big data e a quantidade incalculável de dados gerados e processados em empresas do mundo todo levavam a maioria das pessoas a acreditar, até pouco tempo atrás, que seria praticamente impossível que as organizações pudessem alcançar um nível satisfatório de estabilidade – podendo crescer sem comprometer a qualidade dos serviços oferecidos, do acesso ao data center e aos relatórios de inteligência estratégica. Mas essas mesmas empresas estão atingindo novos patamares em termos de tecnologia da informação. Afinal, cada vez mais os negócios demandam agilidade e acesso seguro a redes, servidores, bancos de dados, aplicações etc. Com a ‘nuvem contínua’ (continuous cloud), isso tudo pode se transformar em realidade.

A principal meta da nuvem contínua, ou nuvem real, como alguns preferem denominar, é viabilizar acesso rápido, ininterrupto e livre de complexidades ao data center. Com essa nova configuração tecnológica, as empresas podem redefinir suas metas e programar com mais propriedade o crescimento dos negócios. No mundo todo, a preocupação vem sendo contar com uma infraestrutura de TI que permita definir estratégias mais claras e coerentes em termos de continuidade, escalabilidade e adaptabilidade. Como nos negócios você não pode parar, sob risco de perder competitividade e mercado, essa solução vem ao encontro de uma necessidade premente.

Todos esses avanços relacionados à cloud computing estão intimamente relacionados às mudanças pelas quais as empresas estão passando nos últimos tempos. Não só muitas organizações estão aumentando sua representatividade em território nacional e presença global, como também estão aumentando as possibilidades com que seus executivos acessam dados da base central, seja através de um home office, de um notebook acessado em trânsito, ou ainda de um smartphone. Esse processo precisa ser rápido e seguro. Outro exemplo são as empresas com possibilidade de vendas via internet. É preciso que todos os dados e aplicativos estejam totalmente integrados, a fim de não cometer erros e perder clientes para a concorrência.

Vale ressaltar que ainda há muito estresse entre pessoas, processos, tecnologias, liderança, estruturas organizacionais e estratégias nessas empresas. Isto porque, apesar de os negócios estarem prosperando e as empresas aumentando de tamanho, ainda se conformam com uma infraestrutura de TI frágil e ineficiente. Nos mercados dinâmicos de hoje, esses fluxos não têm sido redesenhados e reimplantados tão rapidamente como deveriam. A resposta da maioria das empresas ainda se baseia em métodos tradicionais de reengenharia – gerando mais descontentamento do que resultados positivos.

Quem decide dar um passo à frente em termos de recuperação de desastres, ou ainda de acesso seguro a redes, servidores, data centers, aplicações etc., tem de estar ao menos minimamente interessado em conhecer melhor as vantagens da ‘nuvem contínua’, explorando a nuvem computacional em toda sua grandeza. Hoje há avanços que possibilitam que as aplicações da empresa estejam ativas em múltiplos sites, prontas para serem liberadas automaticamente sempre que forem solicitadas. Trata-se de um ganho imenso em termos de competitividade, permitindo que uma empresa faça em poucos minutos o que suas concorrentes provavelmente vão levar semanas para finalizar.

*Adriano Filadoro é diretor de tecnologia da Online Data Cloud, empresa de serviços com mais de 20 anos de atuação na indústria de Tecnologia da Informação

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.