78% das pequenas empresas adotarão cloud computing até 2020

Por Redação | 11 de Agosto de 2014 às 16h35

Em uma pesquisa conjunta, a Intuit e a Emergent Research apresentam um dado que mostra claramente o futuro da tecnologia. De acordo com o estudo publicado neste final de semana pelo site Small Biz Trends, 78% das pequenas empresas nos Estados Unidos já estarão completamente integradas ao mundo do cloud computing até o final de 2020. O total é mais do que o dobro do atual, que é de 37%.

De maneira geral, é a redução nos preços e a facilidade de tomada de decisão proporcionadas pelas plataformas – permitindo que as empresas sejam mais versáteis e se adaptem melhor ao que querem seus clientes – os principais fatores responsáveis por esse crescimento. Mas, indo além das linhas gerais, o estudo traça quatro perfis de negócios capazes de se beneficiar grandemente das tecnologias de computação nas nuvens, e que serão os grandes motores desse crescimento ao longo dos próximos seis anos.

O primeiro deles é o de Plug-in Players, pequenos negócios que utilizam os sistemas conectados para gerenciamento próprio, com soluções de recursos humanos, administração e marketing. Assim, essa gestão é facilitada e sobra mais tempo para que os responsáveis pela companhia se foquem em outras áreas, mais estratégicas para o crescimento.

Hives foi o nome utilizado para designar as empresas que têm funcionários remotos. Como o nome já indica, com a palavra inglesa para “colmeia”, a tecnologia de cloud computing poderá criar centros de trabalho a distância, mesmo para negócios que dependem de compras físicas, permitindo que os funcionários cheguem até onde os clientes estão.

Os Head-to-Headers são aquelas startups que causam problemas para as grandes companhias de seus respectivos setores e confiam grandemente na computação nas nuvens para tocar seus negócios. O estudo cita especificamente o caso do AirBnB, que está mudando a cara do mercado hoteleiro e garantindo preços menores e mais opções de hospedagem para seus usuários, tudo pela internet.

Por fim, temos os Portfolioists, freelancers considerados como aqueles que mais têm a ganhar com o uso do cloud computing. Trabalhando a distância e sem vínculos diretos com as companhias, eles permanecem conectados por meio da internet e têm um alcance bastante amplo, recebendo diversos tipos de informações e se tornando cada vez mais essenciais em uma arquitetura de trabalho que cada vez menos é centralizada nos escritórios e prédios comerciais.

Finalizando, os responsáveis pelo estudo acreditam que, mais do que reduzir custos e facilitar processos, a computação nas nuvens permite que as pequenas empresas passem à frente dos negócios tradicionais e estabelecidos. Sua estrutura menor permite maior versatilidade e um poder de mudanças muito melhor, ao contrário de grandes companhias que dependem de uma gestão muito mais complicada. Para a pesquisa, estar conectado é a lei, e ela vem sendo cumprida com excelência, tanto por startups de tecnologia quanto pequenas lojinhas de bairro.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.