Uso excessivo do celular pode causar dor de cabeça e tendinite, diz ortopedista

Por Redação | 03 de Novembro de 2016 às 11h55

Não há como negar que o celular se tornou um item inseparável no cotidiano, por facilitar, e muito, várias atividades em nosso dia a dia. No entanto, muitos desconhecem que, seu uso exagerado, pode causar danos à nossa saúde, principalmente na coluna, nos pulsos e polegares.

Para se ter uma ideia da dimensão da fixação pelo celular, há pessoas que chegam a trocar 500 mensagens de texto por dia, com uma média de 30 caracteres cada, ou seja, dão 15 mil toques diários na tela, 105 mil por semana ou 420 mil por mês, segundo o ortopedista Luís Phelipe Cardinalli.

Com tantos movimentos repetitivos, podem surgir problemas de saúde como os casos conhecidos por "pescoço de texto", em que a pessoa relata dores na cabeça ligadas a tensões na nuca, pescoço, braços e ombros.

De acordo com o especialista, essas dores podem ser causadas pelo tempo inclinado em uma posição indevida para visualizar a tela do celular, chegando a "deitar" o pescoço em até 60 graus. "Na medida do possível, é recomendado manter o celular mais próximo da nossa linha do horizonte para que a gente não precise inclinar a cabeça para enxergar”, explicou Cardinalli.

Outro problema comum está relacionado ao uso intensivo dos polegares, o que pode gerar uma tendinite chamada de "Tenossinovite de Quervain". “É interessante procurar digitar com outros dedos também, não só com os dedões. Uma forma é segurar o celular com uma mão e digitar com o indicador, por exemplo", orientou.

Os cuidados podem minimizar danos e evitar problemas futuros, mas em caso de dores mais fortes e persistentes, a recomendação é procurar um especialista para que possa fazer um diagnóstico completo e prescrever o tratamento adequado.

Fonte: G1

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.