Psicólogos dizem que o sexting pode ser bom para relacionamentos

Por Redação | 12 de Agosto de 2015 às 10h00

Para quem ainda não conhece o termo, sexting é usado para designar o envio ou recebimento de conteúdo íntimo por dispositivos móveis. Sabemos que o uso indevido desse recurso pode arruinar vidas e até mesmo resultar em prisões, mas quando ambos os participantes são adultos e estão de acordo com a prática, o sexting pode ser algo positivo. Pelo menos é o que afirma um novo estudo.

Apresentado na semana passada durante a convenção anual da Associação Americana de Psicologia, o estudo sugere que o sexting pode ser parte de relacionamentos com alto nível de comprometimento. Isso pode parecer óbvio, mas a maioria das pesquisas sobre o assunto tem jogado os holofotes sobre seus possíveis efeitos negativos para os adolescentes.

Emily Stasko, doutoranda na Universidade de Drexel, e sua conselheira, a psicóloga Pamela Geller, conduziram o novo estudo para ver qual papel o sexting desempenha em relacionamentos adultos. Usando o sistema Mechanical Turk, da Amazon, elas foram capazes de entrevistar 870 homens e mulheres heterossexuais na faixa etária de 18 a 82 anos sobre o seu comportamento em relação ao sexting, a satisfação com seus relacionamentos românticos e satisfação sexual.

As psicólogas descobriram que quase todos os pesquisados (88% dos entrevistados) tinham enviado ou recebido uma mensagem sexualmente sugestiva pela internet em algum momento de suas vidas. A maioria dos entrevistados (82%) tinha enviado ou recebido algo do tipo durante o ano passado. As mulheres se mostraram mais propensas a enviar sexts do que os homens.

Até agora, as psicólogas analisaram apenas os dados que elas conseguiram agrupar, por isso não é possível confirmar, por exemplo, se algumas pessoas são mais propensas a enviar fotos sugestivas para seus parceiros do que outras. Apesar disso, elas conseguiram mostrar que a forma como os adultos visualizam o sexting dentro do seu relacionamento romântico é importante. De acordo com os resultados da pesquisa, a frequência do envio de mensagens picantes para o parceiro está intimamente relacionada com o nível de satisfação com o relacionamento e o mesmo vale para a situação contrária.

Agora, por descobrir que o sexting pode ser utilizado para melhorar a intimidade, as psicólogas esperam que a sua pesquisa possa eventualmente ser aplicada à terapia de casais.

Via Gizmodo

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.