Pornhub divulga estatísticas de 2017 e mostra que brasileiro adora pornografia

Por Redação | 09 de Janeiro de 2018 às 17h49

Talvez a gente não goste de admitir, mas todo mundo (ou quase) adora uma pornografia de vez em quando. E as estatísticas de 2017 do Pornhub comprovam que a safadeza é uma das coisas que a galera mais gosta de pesquisar na internet.

No ano passado, a plataforma de vídeos eróticos contabilizou 81 milhões de visitantes por dia, com 28,5 bilhões de visitantes no ano, fazendo mais de 24 bilhões de pesquisas. Isso significa 50 mil buscas por minuto, ou 800 a cada segundo!

O serviço contou, ainda, mais de 4 milhões de vídeos disponibilizados ali em 2017, reunindo nada menos do que 595.492 horas de visualização. Se você decidisse fazer uma super-maratona pornográfica somente com o conteúdo do Pornhub em 2017, seria necessário 68 anos para terminar de assistir a tudo na íntegra.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ainda de acordo com o relatório, a cada cinco minutos o Pornhub transmite uma quantidade de dados maior do que conteúdos inteiros da biblioteca pública de Nova Iorque, que tem 50 milhões de livros em seu acervo.

Termos mais buscados

Entre os termos mais buscados no ano passado, estão "pornô para mulheres", "Rick and Morty" e "Fidget Spinners", mostrando que os consumidores de pornografia têm gostos bem, digamos, variados. Já quanto às buscas de pornografia para mulheres, isso mostra que elas estão buscando conteúdos eróticos feitos para o público feminino, aqueles que não colocam mulheres em posições degradantes e que, de alguma forma, empoderam o gênero.

"2017 parece ter sido o ano em que mulheres se impuseram para expressar seus desejos mais abertamente"” declarou a Dra. Laurie Betito, terapeuta sexual e diretora do centro para bem-estar sexual do Pornhub. Já quanto aos outros termos mais buscados, ela acredita que buscar por paródias pornográficas de sucessos da cultura pop tenha a ver com escapar, um pouco, da dura realidade do cotidiano, tudo em busca de distração.

Dispositivos utilizados

Ainda segundo o relatório, 76% do tráfego do Pornhub em 2017 se deu por meio de dispositivos móveis, incluindo smartphones e tablets. O acesso à plataforma via desktops caiu em 4% em comparação com o ano anterior.

Já entre os sistemas operacionais preferidos dos visitantes do Pornhub, com o fim do Windows Phone esse percentual caiu em 55%, enquanto o uso de aparelhos com Android subiu 6%, sendo este o SO móvel preferido dos "viciados" em pornografia. O iOS aparece com 47% de preferência, contra 50% do rival. Quanto aos SOs para desktops, o macOS aparece com apenas 15% de uso, enquanto usuários de Windows correspondem a 80% dos espectadores.

E no Brasil?

O relatório do Pornhub analisou as estatísticas de países separadamente, e o Brasil não ficou de fora dessa. Por aqui, a categoria de vídeos com bissexuais foi 280% mais assistida do que em 2016, e a busca por "brasileiro" subiu 12 lugares no ranking dos termos mais pesquisados.

E os gamers que não dispensam uma pornografia também ganharam destaque em 2017, com buscas por "Overwatch" aparecendo no topo dos termos mais populares, incluindo variações como "Overwatch hentai", que cresceu em popularidade em incríveis 842%.

O Brasil ficou no décimo lugar entre os países que mais acessaram o Pornhub em 2017, e segue sendo uma das nações que mais busca por vídeos com travestis, sendo que esse tipo de busca, por aqui, é 84% maior do que no restante do mundo. Vale lembrar que o nosso país é um dos que mais matam travestis e pessoas transexuais no globo, enquanto é o país que mais consome pornografia com pessoas não cisgêneras.

O relatório completo do Pornhub pode ser conferido aqui (em inglês).

Fonte: Forbes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.