Pesquisa revela que brasileiros preferem ficar sem água do que sem smartphone

Por Redação | 24 de Setembro de 2015 às 09h31

Um estudo realizado pela empresa de pesquisa Expertise revela que 70% dos brasileiros admitem que usam o smartphone mais do que deveriam. O levantamento foi feito durante todo o mês de setembro com 1574 internautas acima de 16 anos, homens e mulheres, de todas as classes sociais e moradores de 512 cidades do Brasil.

De acordo com a Expertise, o objetivo da pesquisa "Hábitos relacionados ao Smartphone" é entender o comportamento dos brasileiros em relação ao uso dos aparelhos e como eles enxergam o país por meio de assuntos do cotidiano.

O estudo aponta que 42% dos internautas preferem passar 24 horas sem água ou energia elétrica em sua residência do que sem smartphone. Quando questionados sobre o tempo em que passam conectados, 45% dos entrevistados dizem que mantêm os seus aparelhos conectados no Wi-Fi, 3G ou 4G o dia todo.

Cerca de 21% dos usuários ainda dizem que utilizam a internet apenas no Wi-Fi de casa ou do trabalho, 6% afirmam usar apenas em locais que possuem Wi-Fi e pedem a senha quando estão em bares ou restaurantes, e apenas 5% dizem que ficam desconectados a maior parte do tempo, usando a internet apenas quando necessário.

O maior motivo de ansiedade e nervosismo do brasileiro é quando acaba a bateria do celular, com 51% das respostas. Para 39%, o que mais gera estresse é a falta de sinal Wi-Fi, 3G ou 4G. Isso também acontece com 49% dos participantes da pesquisa, mas quando eles não têm sinal de telefonia e não conseguem fazer ligações.

Aproximadamente 41% dos entrevistados disseram que não vivem sem smartphone e 61% afirmam que não voltariam a ter um telefone celular comum.

Christian Reed, CEO da Expertise, comenta que acha curioso a pesquisa mostrar que 70% das pessoas consideram usar o celular mais do que deveriam. "Outros 18% afirmam que com certeza são viciados no seu smartphone. Todos os comportamentos e até a autoavaliação que os entrevistados fizeram de si próprios mostram que talvez as pessoas estejam fazendo um uso desenfreado do aparelho", afirma.

Ainda de acordo com o estudo, 22% das pessoas preferem conversar pessoalmente com os amigos e 26% disseram que amigos e familiares chamam a sua atenção devido ao uso excessivo. "Os mais jovens preferem falar por mensagens de texto e os mais velhos acabam optando por ligações, mas apenas 1 em cada 5 entrevistados escolheram a forma presencial de comunicação", explica Reed.

Vício

Para entender a frequência com que as pessoas conferem a tela do celular durante o dia, o estudo concluiu que somente 18% dos brasileiros pegam o smartphone quando precisam ou quando recebem notificações, 17% dizem conferir a cada hora, 38% dizem checar a tela diversas vezes por hora, enquanto 16% admitem mexer o tempo todo e 11% poucas vezes ao dia.

Rotina

O local preferido para o uso do celular é na cama: 65% dos respondentes disseram usar o smartphone quando já estão deitados para dormir e 51% assim que acordam e antes mesmo de levantarem. 37% dos entrevistados ainda disseram que verificam o celular sempre ou com frequência quando acordam de madrugada e 63% dizem que o dispositivo é muito importante em suas vidas.

O efeito "crossmedia" também foi encontrado na pesquisa, ou seja, 57% dos participantes têm o costume de assistir televisão sempre ou com muita frequência ao mesmo tempo em que usam o smartphone.

Acidentes também podem acontecer com o uso dos dispositivos nas ruas. O estudo revela que existem 34% de chances de acontecerem tropeços ou trombadas com quem anda a pé. Em relação ao trânsito, 4% dos usuários assumem usar os smartphones enquanto dirigem e 3% dizem que isso acontece com frequência.

29% dos entrevistados ainda dizem que o hábito de conversar com outra pessoa usando o smartphone é comum, 33% afirmam que também usam o aparelho enquanto comem e 37% comentam que não abrem mão do aparelho na hora de ir ao banheiro.

Controle

Os entrevistados também falaram sobre como lidam com as notificações dos aplicativos. 64% das respostas dizem que o envio de notificações é ativado apenas nos apps mais usados ou considerados mais importantes, enquanto 29% afirmam que todos os apps emitem notificações e 4% desabilitam todas.

Quando chega alguma notificação, 26% dos usuários dizem parar tudo o que estão fazendo para verificar o que chegou, 43% param para checar dependendo do que estão fazendo no momento, mas admitindo ficarem ansiosos, 29% veem quando podem ou quando não há nada para fazer, e apenas 2% dizem não receber notificações e permanecer grande parte do tempo desconectados.

Fonte: Bitmag

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!