Pesquisa mostra que as pessoas realmente têm medo de uma rebelião das máquinas

Por Redação | 14 de Março de 2016 às 11h15

Por muito tempo a ficção nos mostrou que a inteligência artificial não é algo tão seguro quanto muitas empresas afirmam. Exemplos não faltam. Skynet, HAL-9000, GlaDOS e a próprias Matrix são apenas alguns dos exemplos de sistemas inteligentes que apareceram na literatura, nos cinemas e nos jogos e simplesmente superaram os humanos, dando início a uma revolução completa. E essa imagem é tão forte que não chega a ser surpresa que as pessoas realmente acreditem que essa tecnologia pode mesmo se tornar uma ameaça para nós.

Uma pesquisa realizada pela Associação Britânica de Ciência revelou que 36% da população realmente crê que o surgimento de inteligências artificiais pode se tornar um problema a longo prazo para a sobrevivência da humanidade. Afinal, não temos como garantir que vai surgir um John Connor no futuro para nos salvar.

O estudo contou com a participação de mais de 2 mil pessoas e trouxe alguns dados interessantes sobre o assunto. Segundo ele, 60% das pessoas acreditam que usar robôs e outros sistemas inteligentes vai aumentar o nível de desemprego — o que não deixa de ser uma verdade, como a própria História nos mostra ao longo das Revoluções Industriais. Já 49% dos respondentes acham que a IA pode servir como uma ótima ajuda nos serviços domésticos para pessoas mais idosas, como vimos no desenho Os Jetsons. Os mais abertos à tecnologia eram, obviamente, os mais novos, com idades entre 18 e 24 anos.

De acordo com desenvolvedores que trabalham de verdade com IA, esse tipo de medo é besteira. Segundo eles, as máquinas não estão nem perto de serem tão inteligentes quanto aquelas que os filmes de ficção científica nos mostraram e que ainda estão há décadas de alcançarem um nível humano de inteligência. Mais do que isso, eles garantem que é impossível dizer que os robôs vão se voltar contra nós ou se organizarem em grupos e sociedades como humanos.

Pode parecer piada, mas os resultados podem trazer bons resultados no futuro. Um dos responsáveis pela pesquisa, o lorde David Willetts, explica que o medo do público precisa ser levado em consideração à medida que a indústria evolui e continua a inovar nesta área. Segundo ele, as pessoas precisam ser envolvidas em debates sobre o futuro da tecnologia para garantir que as coisas estejam evoluindo na direção certa. Para ele, é animador ver opiniões tão diferentes sobre o assunto e isso mostra a necessidade de um debate sobre o tema.

Via: Business Insider