Pesquisa revela que nordestinos aproveitam melhor os recursos dos smartphones

Por Redação | 02.10.2015 às 08:47

O pessoal do Nordeste faz mais buscas, usa mais aplicativos de táxi, efetua transações financeiras, acessa mapas e realiza mais compras pelo smartphone do que usuários de outras regiões do Brasil. Foi o que concluiu uma pesquisa realizada pela Provokers em parceria com o Google, que analisou o perfil do usuário brasileiro de telefonia móvel. Os resultados foram divulgados nesta terça-feira (29) durante o evento Think Telecom.

O estudo revelou que os nordestinos aproveitam melhor os recursos oferecidos por smartphones. Por exemplo, no Nordeste, 43% das buscas realizadas no Google por produtos ligados ao setor de telecom são feitas por celulares, enquanto, no Sul, esse número cai para 32% e a média nacional é de 40%.

Segundo o Google, a pesquisa revela que a segmentação tradicional de público, que se dá por meio da análise de classes sociais, deve ser repensada para a criação de três novos perfis de consumidor de telefonia móvel: Beginners, para quem comprou seu primeiro smartphone há 6 meses ou menos e consomem planos mais simples; Engaged Advisors, que possuem maior intimidade com a tecnologia, utilizam conexão 4G e consomem uma grande quantidade de dados; e Typical Users, que abriga os usuários médios da categoria, com franquias de 1 GB a 4 GB.

A pesquisa avaliou 1.714 pessoas de 14 a 54 anos de idade, das classes A, B e C de todas as regiões do país, e também mostrou o tipo de conteúdo que mais atrai esses usuários. Para todos os perfis, conteúdos envolvendo música e humor são majoritariamente consumidos, enquanto o uso de buscadores é mais frequente na rotina dos Engaged Advisors. Esses usuários que consomem mais dados no celular também diversificam mais seu conteúdo, incluindo busca por eletrônicos, tecnologia, negócios e política.

Outras informações importantes reveladas pelo estudo foram o fato do usuário típico já usar mais aplicativos de táxis e também já levar com mais naturalidade a realização de transações bancárias pelo smartphone.

Fonte: Telesíntese