Nos EUA, uma em cada quatro pessoas admite ser um "troll" na web

Por Redação | 22.10.2014 às 09:20 - atualizado em 02.08.2017 às 08:42

Uma pesquisa elaborada pela YouGov, empresa inglesa especializada em estudos online, relata que que o número de "trolls" na internet cresceu. Segundo o estudo, pelo menos um em cada quatro usuários da internet nos Estados Unidos admite agir como um "troll" na rede. Além disso, 28% dos entrevistados disseram fazer parte de "atividades maliciosas online dirigidas a desconhecidos".

Essas atividades incluem "fazer declarações controversas e incendiárias com o objetivo de perturbar" algum outro usuário da internet. Ao todo, 1.125 adultos foram entrevistados, sendo a maioria deles homens. Entre os jovens de 18 a 34 anos, essa prática é mais comum. Ela é duas vezes maior que a chance de comportamentos agressivos de internautas com mais de 55 anos.

Exatos 12% dos que participaram da pesquisa afirmam que exageram nas declarações ao ponto de seus comentários serem removidos por moderadores de discussões online. Já outros 12% reconhecem que fazem declarações controversas de forma deliberada.

A pesquisa promovida pela YouGov também analisou os temas pelos quais os perturbadores mais se interessam. Em primeiro lugar aparece o tema política com 49%, seguido por notícias (38%), religião (38%), celebridades (31%) e esportes (25%).

As formas identificadas para se livrar do "trolls" também fizeram parte da pesquisa. Cerca de 37% deles disseram que a melhor maneira de desestimular os "trolls" é ignorá-los. Outros 24% acham que denunciar o comportamento para os moderadores da discussão é necessário. Já para 14%, não há meios eficazes para se livrar dos inimigos da boa convivência online.

Fonte: YouGov