Mulheres são presas no Irã por publicar vídeos delas mesmas dançando

Por Jessica Pinheiro | 09 de Julho de 2018 às 15h50

Quatro mulheres foram presas no Irã na última semana porque postaram vídeos de si mesmas dançando no Instagram. Até o momento, apenas uma delas foi identificada: a ginasta de 17 anos, Maedeh Hojabri. Sua confissão foi feita em rede aberta na última sexta-feira (6), e, durante o período em que foi apreendida, sua conta na rede social de fotografias foi temporariamente encerrada, voltando apenas nesta manhã de segunda-feira.

Hojabri inclusive publicou um vídeo recentemente a respeito do ocorrido. O motivo de sua prisão foi porque ela não estava usando um hijab, algo que é exigido por lei para as mulheres de seu país. A ginasta já havia falado muitas vezes de sua profissão e sobre parkour no Instagram, que é um dos poucos aplicativos de mídia social que não bloqueado no Irã.

چیو باید اعتراف کرد؟ بابت لرزوندن سینه از کی خط گرفتی؟؟ چگونه قر کمر رو وارد کشور میکردین؟؟ هم دستات تو سبک باباکرم کیا بودن؟؟؟

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A post shared by MahiMaedeh (@maedeh_hozhabri) on

Com o ocorrido, Hojabri se tornou o principal rosto de uma campanha no país, onde as mulheres resistem às leis autoritárias do Irã. A hashtag # مائده_هژیری que significa algo como #DancingIns’tACrime (dançar não é um crime) foi feita em resposta à prisão da atleta. Muitas pessoas inclusive suspeitam que a confissão da mulher no final da semana passada foi feita porque as autoridades iranianas a pressionaram.

Tanto Hojabri quanto outra das mulheres que foram apreendidas juraram que o vídeo em que elas dançam não foi feito para chamar atenção, muito menos para encorajar outras de fazerem o mesmo, e era simplesmente voltado aos seguidores da conta. Os protestos contra as leis do hijab, no entanto, estão em alta nos últimos meses, e vários outros vídeos com mulheres dançando estão surgindo no Instagram.

Em 2014, seis garotas dançaram ao som da música Happy de Pharrell Williams e postaram vídeos do ocorrido. Em seguida foram condenadas a um ano de prisão e 91 chicotadas. Quanto a Hojabri, não está claro o que ela terá de enfrentar por dançar em público em sua conta do Instagram, apesar de sua fiança ter sido supostamente paga por outras três mulheres. Com o acontecimento, a Associated Press alega que as autoridades iranianas estão considerando bloquear o acesso à rede social de fotografias no país.

Fonte: Gizmondo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.