Manifesto da Persona Digital

Por Eduardo Guedes | 24 de Abril de 2017 às 17h00
photo_camera Divulgação

Olá, bom dia. Sou a sua persona digital e preciso de alguns minutos para falarmos. Sim, sou a sua versão de você que habita a sua página no Facebook e gostaria de ter uma conversa franca agora. Pode não parecer a hora mais apropriada, mas estou muito desconfortável e não consigo mais adiar o assunto.

Infelizmente não sou o que você pensa de mim. Me perdoe, por favor. Acredite, tenho me esforçado para atingir as suas expectativas. Mas não consigo ser tudo isso que você fala de mim para os outros.

Não consigo mais quebrar recordes de corrida todos os dias. Preciso confessar que eu quase desisti na última prova. Não parei pois não queria te decepcionar, já que vc fez tanta propaganda de mim para seus amigos. Mas acredite, meus joelhos doem muito. E fique tranquilo pois eu não contei isso para ninguém. Tenho tentado manter a sua fama de mau.

Sei o quanto tudo isso é importante para você. Seus amigos parecem gostar das minhas fotos que você publica no meu mural. Mas peço gentilmente que não tente me comparar a eles. Eles também não são exatamente como as postagens que aparecem por aqui. No nosso mundo, a gente também tem dor de barriga, acorda com cabelo em pé, bafo de onça e come pão "dormido" do dia anterior. Mas eu sei que falar sobre isso também não dá tanta audiência.

A verdade é que tenho me sentido muito cobrado por você.

Não li nenhum livro nos últimos 2 anos e adoro assistir Big Brother, mas você quer que eu emita opinões como se fosse um cientista político. Não fiz nenhum curso de coach, mas você me considera o Dalai Lama do Facebook. Mal sei fritar um ovo, mas por vezes me sinto a versão paraguaia do batiste do cloude troigros com as suas falsas publicações de mim.

Sou alegre e gosto de estar rodeado dos amigos, mas também tenho meus momentos de tristeza e solidão. Sim, adoro comida japonesa, mas a maioria dos meus jantares é mesmo um queijo quente da padaria que você não tem coragem de postar.

Amo meus filhos e cachorro, mas, muitos dias, minha casa parece mais um campo minado em que mal dá para entrar. Não concordo com a exposição que vc faz da nossa família, sem nem mesmo lhes dar o direito de escolha.

Sim, gosto de me sentir mais jovem, mas as minhas inúmeras fotos de perfil não revelam a beleza das rugas que o tempo me presenteou.

Estou farto de tanto hashtag que não corresponde a minha essência. Lembro de quando você postou #amoanatureza, mas esqueceu de escrever #reclameipracaramba, #detestocaminharnatrilha e #temmuitomosquitoaqui.

Adoro viajar, mas passo mais tempo no waze tentando fugir do transito da marginal pinheiros do que gastando as milhas do meu cartão. Gostei de ver o nascer do sol naquele domingo, mas raramente troco o conforto da minha cama antes das 10 horas da manhã.

Me desculpe por trazer a verdade logo agora. Sei que vc achava que eu estava na minha melhor fase, mas não era bem assim. Não quero destruir seus sonhos nem tudo que os outros pensam de mim, mas também não posso mais alimentar esta fantasia. Quero mais verdade na nossa relação. Você me conhece bem e sabe quem eu realmente sou.

Cansei desse mundo do faz de conta. Sinto que deste jeito não poderemos mais continuar juntos, pois nos tornamos 2 pessoas muito diferentes. Nos perdemos em algum momento no vazio do cyberespaço virtual. Preciso buscar a verdade que existe em mim e resgatar a minha verdadeira identidade sem a preocupação constante de agradar aos outros.

Cansei de ser a sua versão fraudulenta ou de servir como instrumento para o seu ego através de recordes de curtidas ou comentários na rede. Quero uma vida mais plena, simples e de verdade. Com menos holofote no eu e mais no nós.

A partir de amanhã, tudo será diferente. Entrei com um pedido de divorcio no tribunal do Facebook. Terei minha própria senha e serei responsável pelas minhas postagens. Eu vou escolher quem são os amigos da minha rede de contatos. Vc não achara mais a minha página, nem os meus comentários. Espero que você tenha boas lembranças de mim, mas especialmente que passe a amar quem você realmente é, valorizando sim as virtudes, mas gentilmente acolhendo os defeitos. Com a certeza de que evoluir é um processo contínuo e parte inerente da condição humana.

Assinado: Sua Página do Facebook

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!