IBOPE começa a medir audiência da TV assistida em tablets e smartphones

Por Redação | 10 de Agosto de 2015 às 11h49

Em julho de 2013, o IBOPE Media anunciou que passaria a medir a audiência dos programas de TV também pelos tablets e celulares. Isso agora é real: na última semana, a entidade revelou os primeiros resultados da nova medição e mostra dados interessantes de como os dispositivos móveis têm ajudado a elevar a popularidade daquilo que assistimos pela televisão.

De acordo com o órgão medidor, os testes acontecem apenas na Grande São Paulo - pelo menos por enquanto. O levantamento indica que a classe AB foi a que mais utilizou esses aparelhos para ver sua programação favorita, sendo que 58% dos telespectadores consumiram TV por meio de tablets e celulares. O índice é maior que o número de usuários que assistem TV pelo modo tradicional (46%).

Outra informação apontada pelo estudo é quanto à idade dos consumidores. O IBOPE afirma que 70% daqueles que assistem TV por aparelhos móveis têm entre 35 e 49 anos. Além disso, a maior audiência da televisão móvel foi registrada às quintas-feiras e os picos de audiência deste modo de consumo foram entre 12h00 e 14h00 e 17h00 e 21h00.

Diferente do peoplemeter, um dispositivo instalado nas casas de milhares de brasileiros para monitorar o que as pessoas estão assistindo, o método usado pela entidade para medir a audiência nos tablets e smartphones se chama TDT Mobile. O sistema, desenvolvido em parceria com a empresa japonesa Video Research, consiste em um aplicativo para Android instalado no aparelho de usuários selecionados e que envia dados constantemente ao IBOPE sobre o conteúdo visualizado na tela do gadget.

“O TDT Mobile permite que os nossos clientes tenham uma visão ainda mais ampla do telespectador e de seus hábitos”, afirma Fábia Juliasz, diretora de Video Audience Measurement do IBOPE Media. Hoje, o Brasil passa a ser o primeiro país, depois do Japão, a contar com essa tecnologia. Ainda segundo o IBOPE, o mecanismo de medição chegará em breve na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Outra novidade marcada para este ano é que a entidade também vai medir a audiência vinda do streaming de TV por meio de computadores - não foram reveladas as cidades que participarão desse conceito. Há ainda uma medição feita pela audiência oriunda das Smart TVs, que já está acontecendo e mensura os conteúdos gravados e assistidos posteriormente através desses aparelhos.

As redes sociais também estão sendo usadas para indicar como e quanto os brasileiros assistem TV. No final do ano passado, em parceria com o Twitter, o IBOPE lançou uma ferramenta que ajuda a medir a audiência da televisão com base nos comentários dos usuários pelo microblog. Segundo a instituição, a prática ajuda não apenas a entidade a medir com mais precisão e alcance os índices de audiência das emissoras, como também apoiar estratégias de anunciantes e empresas de TV.

Fonte: IBOPE Media

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.