Fundador da Amazon fez previsões em 1999 que hoje se mostraram reais

Por Redação | 21 de Agosto de 2017 às 17h26

Em 1999, Jeff Bezos, fundador da Amazon, previu algumas coisas sobre o consumo no varejo e a tecnologia nos dias que estamos vivendo atualmente — e algumas delas acertaram em cheio. A companhia foi fundada em 1994 como uma loja de livros, mas, hoje, a Amazon transformou o varejo internacional com suas inovações, e vende praticamente qualquer produto, incluindo tecnológicos desenvolvidos por eles mesmos (como o speaker inteligente Echo, por exemplo).

Mas, voltando para o ano de 1999, uma entrevista de Bezos à Wired, o bilionário compartilhou algumas de suas ideias sobre o futuro, prevendo como o mundo do consumo estaria com o avanço da tecnologia por volta do ano de 2020. Confira as previsões que, em 2017, já se mostraram acertadas:

Comprar em loja física é coisa do passado

Bezos previu que as pessoas, cada vez mais, iriam preferir fazer compras em lojas virtuais, deixando o comércio varejista físico em maus lençóis, caso não se adaptassem aos tempos modernos. E, de fato: a Amazon atualmente domina o mercado de e-commerce, junto com outras grandes lojas virtuais em todo o mundo.

Desde roupas e acessórios, passando por eletrônicos, livros e games, e até mesmo alimentos e itens de necessidade básica já são adquiridos por meio da internet, sem que o consumidor precise sair de casa para fazer suas compras.

Lojas de conveniências estão com tudo

Abertas 24h, ou, pelo menos, funcionando em horários alternativos aos das lojas físicas habituais, as lojas de conveniências estão com tudo também pela oferta de produtos diversificados, desde rolos de papel higiênico até fones de ouvido. E Bezos previu, há quase vinte anos, o crescimento desse tipo de estabelecimento.

Não é à toa que, agora, a Amazon oferece o “Instant Pickup” nos Estados Unidos, que permite ao consumidor pedir itens de uma loja em suas redondezas e ter a entrega realizada dentro de poucos minutos.

Shoppings centers sentem o impacto

No final da década de 1990, os shoppings centers estavam aproveitando um ótimo momento. Esses centros comerciais atraíam a população pela oferta de lojas dos mais diversos tipos, conquistando, também, o público jovem sedento pela última moda. Mas Bezos previu que os grandes centros comerciais sentiriam o impacto da evolução da tecnologia que facilita o consumo por meios virtuais — coisa que acontece atualmente.

Grandes marcas de roupas passam a oferecer mais para atrair o público

Marcas de renome na indústria da moda precisariam oferecer mais do que roupas para atrair o público no futuro. Foi o que Bezos previu em 1999, falando sobre transformar a experiência de compra em uma experiência mais ampla, de entretenimento e consumo.

Com isso, muitos dos grandes varejistas atualmente oferecem, além do produto em questão, aplicativos interativos, experiências em realidade virtual e outras novidades para transformar a experiência da compra em algo mais prático, divertido e tecnológico.

Fonte: CNBC

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.