Estudo associa jogos violentos com aumento de agressividade em crianças

Por Rafael Arbulu | 02 de Outubro de 2018 às 11h25

O eterno debate entre a influência e a inocência dos games no comportamento das pessoas ganha mais um capítulo: um estudo conduzido pela Universidade de Dartmouth e publicado na cartilha Proceedings of the National Academy of Sciences (“Procedimentos da Academia Nacional de Ciências”, ou simplesmente “PNAS”) indica que o comportamento violento de crianças pode ser derivativo da interação delas com jogos mais violentos.

O texto aponta que ações infantis, como flutuação repentina de humor e confrontações físicas, possuem uma relação com jogos não destinados ao público infantil, sem citar exemplos diretos. A pesquisa considerou depoimentos feitos pelas próprias crianças e seus pais, confrontando essas informações com diversos estudos que apontam para o caminho contrário.

Novo estudo da Universidade de Dartmouth associa o crescimento de ações violentas em crianças, como bater, xingar e ser enviado à diretoria por briga; com a sua interação com jogos de cunho mais violento

"Ainda que nenhum projeto único seja definitivo, nossa pesquisa buscou trazer os argumentos mais atuais e convincentes a críticas sobre o assunto”, disse um dos autores, Jay G. Hull, reitor associado da Faculdade de Ciências Sociais de Dartmouth. “Baseado em nossas conclusões, acreditamos claramente em uma associação entre videogames violentos e um aumento subsequente nos casos de agressão física”

O estudo não se limitou apenas a estudar um público específico, mas também alega ter confrontado as próprias conclusões com cerca de 24 outras pesquisas que apontavam justamente o contrário — ou seja, que não há relação direta entre os assuntos. A ideia é que, com base em sua publicação, formadores de opinião mais descrentes desta associação revejam suas posições.

"As críticas mais notáveis da literatura agressiva de jogos violentos conduziu estudos em recortes populacionais primariamente hispânicos, encontrando nenhuma evidência dessa associação”, disse o coautor James D. Sargent, um dos diretores de Dartmouth. "Eu espero que nossas conclusões façam com que os mais céticos reavaliem suas afirmações, especialmente considerando que algumas outras pesquisas que nós fizemos indicam que o gameplay mais violento pode sim aumentar o comportamento de desvio para implicações em diversas atitudes de risco”.

Fonte: MedicalXpress

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.