Escola criada por Elon Musk educa seus filhos e os de funcionários da SpaceX

Por Redação | 15 de Fevereiro de 2018 às 16h43
photo_camera Reprodução
TUDO SOBRE

SpaceX

Quando você é um multibilionário, nada mais natural que investir na educação dos seus filhos e querer que ela seja a melhor possível, certo? E foi precisamente isso que Elon Musk fez em relação à educação de seus pimpolhos. 

Em julho de 2015, Musk fundou a escola Ad Astra, que, em latim, significa "até as estrelas". O intuito era criar uma alternativa personalizada para que seus filhos pudessem usufruir de uma educação mais livre, menos dogmática e limitante. Entretanto, cerca de 40 crianças já são educadas no espaço. Não se sabe quem são essas crianças, qual o critério para se matricular na instituição ou mesmo se há mensalidades a serem pagas. Na verdade, não se sabe quase nada sobre a inciativa.

Foi com o intuito de esclarecer esse mistério que Christina Simon escreveu o livro Beyond the Brochure: An Insider's Guide to Private Elementary Schools in Los Angeles, que, em tradução livre seria algo como "Além do folheto: o guia de uma conhecedora das escolas primárias privadas de Los Angeles", em que aborda, entre outras instituições particulares de Los Angeles, a Ad Astra de Musk.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Segundo Simon, a Ad Astra está cadastrada junto à administração de Los Angeles como uma escola particular para atender crianças de 7 a 14 anos. No presente momento, cerca de 40 crianças são educadas na instituição e a maior parte delas é filha de funcionários da SpaceX, uma vez que o colégio funciona bastante próximo à sede da empresa. Ao contrário do boato, não existem testes de inteligências como pré-requisito para a matrícula, mas sim um visita onde a própria criança e seus futuros educadores em potencial avaliam um ao outro e se questionam se aquele modelo educativo serve às expectativas da família e do estudante. Tudo bem ao estilo Musk de ser.

Entretanto, Simon relata que a maioria dos pais que a abordam com interesse em assinar nos papéis para que seus filhos estudem na Ad Astra não está interessada em saber sobre a formação dos professores, a carga horária ou o plano pedagógico que a instituição segue, dúvidas comumente achadas nas cabeças dos pais ao escolher um colégio. Segundo a autora, eles apenas sabem do envolvimento de Elon Musk e isso já é o bastante. O que não sabemos é se esses pais procuram o status de uma instituição de ensino extremamente exclusiva ou se tudo isso é confiança no genial e carismático CEO da SpaceX.

"A maior diferença em relação às outras escolas é que na Ad Astra não há cursos determinados pelo método tradicional. Algumas pessoas adoram o inglês ou outros idiomas, outras, a matemática, outras, a música... São habilidades diferentes. O mais sensato é que a educação se adapte às suas habilidades e aptidões. Outro princípio é a importância de ensinar a resolver problemas concentrando-se no problema e não nas ferramentas disponíveis. Se você quer ensinar a alguém como um motor funciona, é muito melhor dizer: este é um motor, agora vamos desmontá-lo. Do que precisamos? Ah, de uma chave de fenda!”, defendeu Elon Musk. Paulo Freire concordaria.

 

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.