Crianças desobedientes têm mais chances de se tornarem CEOs, revela estudo

Por Redação | 02 de Junho de 2015 às 15h04
photo_camera Divulgação

Se você tem filhos pequenos e costuma repreendê-los toda vez que eles aprontam alguma coisa, é melhor prestar atenção no estudo a seguir. De acordo com pesquisadores da Universidade do Estado do Kansas, nos Estados Unidos, crianças desobedientes tendem a ser líderes de sucesso na vida adulta, justamente pelo comportamento "incontrolável" na infância.

Os cientistas afirmam que essas crianças possuem o chamado "gene CEO", que as tornam mais propensas a comandar uma grande empresa no futuro. Esse gene em particular está associado ao desejo (mesmo que involuntário) dos pequenos em quebrar determinadas regras impostas pelos mais velhos. Segundo os responsáveis pela pesquisa, essa informação genética é exatamente a mesma encontrada nos diretores executivos de companhias mundialmente conhecidas.

Como metodologia, os pesquisadores analisaram dados de 13 mil pessoas adultas para verificar a influência do DAT1, o gene responsável pelo transporte de dopamina para o cérebro. A dopamina é um neurotransmissor que ajuda a controlar as respostas que o cérebro dá diante de situações de recompensas e prazer.

Analisando os dados, os cientistas descobriram que o DAT1 em crianças leva a um comportamento desobediente, mas não as leva a atitudes violentas, criminosas ou agressivas. O que acontece é que o gene faz com que as pessoas aprendam desde cedo a desafiar os limites, o que na vida adulta fornece qualidades de liderança positivas para estar à frente de grandes corporações.

"Não seguir as regras está diretamente relacionado de forma positiva com a chance de você se tornar um líder na fase adulta", explica Wendong Li, professor assistente de ciências psicológicas e autor do estudo. "Esses tipos de comportamentos podem fazer com que você tenha certa vantagem, pois permitem que os adolescentes explorem os limites e aprendam algo novo".

Embora o estudo forneça informações positivas quanto ao comportamento de crianças um pouco mais rebeldes, o professor afirma que a presença do gene CEO também pode causar efeitos negativos na hora de desenvolver a liderança. Segundo Li, o gene pode influenciar em atitudes egoístas e até arrogantes por parte do portador. "É como uma faca de dois gumes", diz.

Obviamente, o professor também lembra que não se deve deixar as crianças fazerem o que quiserem. Segundo o especialista, os diferentes resultados podem ser influenciados pelo ambiente no qual a criança vive, pois se ela for desobediente, mas tiver uma família que a apoia e a ajuda a trabalhar sua habilidade de conviver em grupo, será mais propensa a se tornar líder quando for mais velha.

Fonte: Daily Mail

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.