Brasil é o segundo país com mais usuários no site de traições Ashley Madison

Por Redação
photo_camera Divulgação

Esta tem sido uma semana problemática para os usuários do Ashley Madison. Em dois dias, hackers publicaram o equivalente a 30 GB de dados do site de traições — 10 GB ontem (19) e outros 20 GB nesta quinta-feira (20). Claro que pela quantidade de informações, muitas empresas de pesquisas começariam a vasculhar o comportamento dessas pessoas. Uma delas, a Dadaviz, traz um insight interessante sobre os locais onde se concentra o maior número de cadastrados no serviço.

E quem diria que os brasileiros iriam aparecer no topo do ranking de países que mais acessam a plataforma? É isso mesmo: o Brasil é o segundo país do mundo com mais perfis no site de relacionamentos extraconjugais, totalizando 918 mil contas. Em primeiro lugar estão os Estados Unidos, com 1,4 milhão de membros. Vale lembrar que, segundo o Avid Life Media, grupo responsável por controlar o Ashley Madison, mais de 37 milhões de pessoas estão no site.

Outro gráfico da Dadaviz mostra que os brasileiros, mais especificamente os paulistanos, são os que mais têm uma conta no serviço. Segundo o levantamento, São Paulo possui 374,5 mil usuários, à frente de outras metrópoles, como Nova York, nos EUA (268 mil), Sydney, na Austrália, (251,8 mil), Toronto, no Canadá, (222,9 mil), e Santigo, no Chile, (218 mil). No ranking também aparecem outras duas cidades brasileiras: Rio de Janeiro, com 156,5 mil usuários, e Brasília, com 97 mil, respectivamente na 11ª e 20ª posição.

Com o slogan "A vida é curta. Curta um caso", o Ashley Madison sofreu uma invasão hacker no final de julho quando o grupo Impact Team, que assumiu a autoria dos ataques, pedia o fechamento do site. O grupo de cibercriminosos alega ter roubado dados do serviço sob a justificativa de que a Avid Life Media é fraudulenta ao oferecer uma opção para deletar todos os registros de um usuário, mas que mesmo assim mantém as informações daquele internauta armazenadas em seus servidores.

Além disso, os hackers dizem que muitos perfis femininos no site são falsos, feitos para atrair usuários homens e passar a impressão de que muitas mulheres estão cadastradas. Eles também pediram o desligamento do "Established Men", para conectar "homens de sucesso a mulheres bonitas", mas nenhuma das exigências dos hackers foram atendidas.

O conteúdo de quase 10 GB vazado nesta quarta-feira (19) pelo Impact Team inclui dados de transações financeiras, credenciais de acesso (endereço de e-mail e senha criptografada) e diversos dados cadastrais dos usuários. Não se sabe qual a natureza dos 20 GB de arquivos publicados hoje.

Veja abaixo os países e cidades com mais usuários no site de traições, segundo a Dadaviz:

Os 10 países com mais usuários no Ashley Madison:

  1. Estados Unidos (1,4 milhão)
  2. Brasil (918 mil)
  3. Austrália (597 mil)
  4. África do Sul (340 mil)
  5. Canadá (288 mil)
  6. Argentina (87 mil)
  7. Taiwan (80 mil)
  8. Reino Unido (71 mil)
  9. México (68 mil)
  10. Israel (49 mil)

As 25 cidades com mais usuários no Ashley Madison:

  1. São Paulo
  2. Nova York
  3. Sydney
  4. Toronto
  5. Santiago
  6. Melbourne
  7. Houston
  8. Los Angeles
  9. Londres
  10. Chicago
  11. Rio de Janeiro
  12. Madrid
  13. Bogotá
  14. Brisbane
  15. Brooklyn (NY)
  16. Miami
  17. Galgary
  18. San Antonio
  19. Dallas
  20. Brasília
  21. San Diego
  22. Perth
  23. Las vegas
  24. Atlanta
  25. Philadelphia

Fontes: Dadaviz (1), Dadaviz (2)

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.