Ser ignorado no Facebook pode causar sofrimento psicológico, aponta estudo

Por Redação | 14.05.2014 às 11:14

A dependência das pessoas pelas redes sociais tem se tornado cada vez maior e atingindo níveis tão altos que em alguns casos chega a ser patológico. Um novo estudo realizado pela escola de Psicologia da Universidade de Queensland, na Austrália, comprovou isso e sugeriu que "a falta de compartilhamento de informações e feedback podem ameaçar as necessidades de pertencimento”. As informações são do jornal O Globo.

Conduzido pela professora Stephanie Tobin, o estudo foi dividio em duas fases. Na primeira, usuários assíduos da rede foram dividos em dois grupos e um deles foi proibido de usar o Facebook por 48 horas.

“O estudo revelou que não postar no Facebook por dois dias gerou um impacto negativo nas necessidades de satisfação. Especificamente, os participantes que ficaram sem publicar reportaram níveis mais baixos de pertencimento e existência significativa”, aponta o estudo, publicado na revista “Social Influence”.

Na segunda etapa, um grupo de 76 voluntários usou computadores da universidade para navegar no Facebook, sendo que metade das máquinas estava com as opções de "curtir" e "comentar" na rede social desabilitadas. Depois da sessão, os voluntários responderam a um questionário avaliativo sobre os níveis de satisfação da experiência.

“Os testes revelaram que participantes sem feedback pareceram menos interessados nas suas publicações e se sentiram menos incluídos no grupo”, diz o estudo. “As pessoas que não receberam respostas para uma atualização de status experimentaram níveis mais baixos de pertencimento, autoestima, controle e existência”.

Apesar do aspecto leviano, o caráter do estudo é significativo. As redes sociais deveriam ser apenas uma pequena extensão das nossas vidas e não um reflexo (na maioria das vezes invertido) dela. O resultado disso pode ser o relaxamento dos verdadeiros laços sociais.