Mulheres que usam mais redes sociais são menos estressadas, aponta estudo

Por Redação | 16 de Janeiro de 2015 às 12h48

Muitos analistas sugerem que as redes sociais, celulares e internet dominam a vida dos usuários e acabam colocando-os sob mais situações de pressão, o que aumentaria o estresse. No entanto, um estudo recente revelou que usuários intensivos das mídias sociais e da internet não apresentam níveis mais elevados de estresse do que as outras pessoas.

Segundo o estudo, as mulheres que usam Twitter, e-mail e compartilham fotos diariamente demonstram, inclusive, menos estresse do que mulheres que não têm esses hábitos. A pesquisa divulgada na quinta-feira (15) foi realizada pela Pew Research Center e entrevistou 1.801 norte-americanos, informa a Reuters.

A pesquisa revelou que as redes sociais, no entanto, influenciam no nível de estresse dos usuários por ser um canal pelo qual eles tomam conhecimento com mais frequência de problemas que atingem conhecidos, como perda de emprego e mortes.

Segundo Keith Hampton, professor da Universidade Rutgers e líder da pesquisa, “não há evidência em nossos dados de que os usuários de mídia social se sintam mais estressados do que pessoas que utilizam menos ou não utilizam as tecnologias digitais”, afirmou ele por meio de comunicado.

A pesquisa mostrou que as mulheres são mais estressadas que os homens, mas os usuários mais frequentes de internet e meios de comunicação social não possuem níveis mais elevados de estresse do que pessoas que não usam essas redes.

No caso feminino, levando em conta a pontuação na escala de 30 pontos de Estresse Percebido, medida comum usada para identificar o estresse, elas ficam com 10,5 de média. No caso dos homens, essa pontuação foi de 9,8 na mesma escala.

Entre os homens não foi possível identificar uma mudança nos níveis de estresse entre aqueles que utilizam celulares, mídias sociais e internet daqueles que não usam essas ferramentas. Já entre as mulheres, a pesquisa revelou que, aquelas que usam Twitter várias vezes ao dia, enviam ou recebem 25 e-mails e compartilham duas fotos em redes sociais diariamente são 21% menos estressadas que as mulheres que não têm esses costumes.

No caso do estresse adicional, motivado pelos problemas alheios na rede, uma mulher com um número médio de amigos no Facebook tem 13% a mais de conhecimento sobre eventos estressantes entre os seus amigos, incluindo divórcios e mortes na família. Entre os homens este número cai para 8%. Neste caso, a pesquisa revela que o conhecimento sobre eventos estressantes de amigos e pessoas próximas pode contribuir significativamente para o aumento do estresse das pessoas.

A pesquisa foi realizada entre os dias 7 de agosto e 16 de setembro do ano passado e possui uma margem de erro de 2,6 pontos percentuais e de 3,3 pontos percentuais para as 1.076 pessoas entrevistadas que usam redes sociais.

Fonte: http://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKBN0KO2J720150115?pageNumber=1&virtualBrandChannel=0

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.