Ministério público abre inquérito civil contra Facebook e Lulu

Por Redação | 03.12.2013 às 07:00

O Lulu continua causando polêmica e agora o app virou alvo de investigação. O MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) informou nesta segunda-feira (2) que foi instaurado um inquérito civil contra o Facebook e a Luluvise Inc. (desenvolvedora do aplicativo). O ministério acredita que as companhias são suspeitas de ofender direitos da personalidade de milhões de usuários do sexo masculino. As duas redes têm cinco dias para prestarem esclarecimentos ao órgão.

No Lulu somente as mulheres têm acesso aos perfis dos homens, que têm suas informações "puxadas" do Facebook, sem que eles tenham conhecimento e autorização.

"Essa situação evidencia ofensa a direitos existenciais de consumidores, particularmente à honra e à privacidade, ensejando medidas administrativas e, eventualmente, condenação por dano moral coletivo", diz o comunicado de abertura de inquérito.

A assessoria de imprensa do Lulu no Brasil disse ainda não ter informações sobre a notificação. E a do Facebook diz que a empresa não comentará o caso.

Esse não é o primeiro processo que a empresa Luluvise Inc. recebe. Na semana passada, um estudante de Direito entrou na justiça alegando danos morais à empresa criadora do aplicativo.